“We Hate Tourism Tours”: nove amigos reinventam a forma de visitar Lisboa e Porto

O jornal online britânico The Independent publicou esta quinta-feira uma reportagem sobre a empresa “We Hate Tourism Tours”, um projeto desenvolvido por nove amigos – nem todos portugueses -, onde admitem odiar os típicos tours turísticos, e prometem obrigar os visitantes a perder-se nas maravilhosa ruas de Lisboa e do Porto.

Ler mais

Tudo começou em 2008, quando Bruno, o fundador, estava desempregado, e decidiu aliar essa situação ao facto de adorar a cidade onde mora – Lisboa – e partilhar essa paixão com os turistas.

“Somos os filhos da crise. Temos um jornalista, um engenheiro e um psicólogo”, disse Bruno ao jornal. “Estávamos desempregados ou despedimo-nos porque não queríamos ser explorados”. A equipa do “We Hate Tourism Tours” considera-se “embaixadores não oficiais da cidade”, ou “diplomatas urbanos” que cresceram na capital e que usam o conhecimento local para mostrar a verdadeira Lisboa aos visitantes.

“Os nossos passeios não têm direção, temos a liberdade de ser nós mesmos e de recebemos as pessoas que querem partilhar o tempo connosco”, disse Bruno ao jornal britânico.

Com a jornalista Yvonne Gordon falaram sobre os recentes protestos contra o turismo, particularmente em Barcelona e em Veneza. “Não gostamos de apontar os dedos”, afirmou Bruno. “Não sou contra os turistas nem falo mal dos autocarros turísticos, mas é preciso mudar. É preciso estarmos conscientes sobre como viajamos e sobre quem somos enquanto viajantes. É um desafio para muitas cidades”.

Um dos truques do grupo para fugir às longas filas em Belém, por exemplo, é andarem de noite. “Se queremos viajar, é preciso ir um pouco mais além”.

Como parte do ethos de turismo sustentável, o “We Hate Tourism” usa parte do dinheiro dos passeios para devolver à comunidade – levam as crianças e os idosos a fazer passeios gratuitos, limpam as ruas e ajudam a vizinhança.

Ao Jornal Económico Gonçalo Paiva, um dos “amigos” disse que todos os dias recebem convites para reportagens tanto a nível internacional como a nível nacional, mas admite que a grande ajuda na divulgação são as bloggers.

 

Relacionadas

Medina quer Lisboa económica, social e financeiramente “mais sustentável”

O autarca e candidato socialista quer fomentar o arrendamento de longa duração e propõe “que seja reduzida a taxa liberatória de IRS que hoje os proprietários pagam quando têm uma casa arrendada, e que hoje está nos 28%, para 10%, para contratos de arrendamentos a 10 ou mais anos.

O melhor Oceanário do mundo? É o de Lisboa

Entre os utilizadores do TripAdvisor mais de 28 mil considerou o Oceanário a atração número 1 em Lisboa e cerca de 18 mil classificou a experiência como “excelente”.
Recomendadas

Pedidos de habitação social em Lisboa atingem máximo de oito anos

Segundo dados da autarquia, vivem nos bairros municipais “cerca de 75 mil pessoas”, o que corresponde a “mais de 15% da população da cidade”. Na cidade do Porto existem mais de mil pedidos por satisfazer.

Táxis: Taxistas insistem que mantêm protesto até serem recebidos pelo Governo

Os taxistas continuam este sábado parados, pelo quarto dia consecutivo, e determinados a manter o seu protesto até serem recebidos pelo Governo, disse hoje Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros de Passageiros (ANTRAL).

Diretor artístico do Museu de Serralves apresenta demissão

O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou na sexta-feira a sua demissão porque “já não tinha condições para continuar à frente da instituição”, segundo disse o próprio ao jornal Público.
Comentários