Willis adquire Acclimatise e reforça compromissos climáticos

A Willis Towers Watson adquiriu a Acclimatise, empresa de consultoria e análise especialista em soluções de resiliência e adaptação às alterações climáticas.

A empresa de consultoria Willis Towers Watson (WTW) formalizou esta quinta-feira a aquisição da Acclimatise, empresa de consultoria e análise de adaptação às mudanças climáticas, com o objetivo de responder às crescentes necessidades de empresas, governos e instituições financeiras.

Segundo o comunicado, que não revela os montantes envolvidos na transação, a integração da Acclimatise na WTW permite criar um hub especializado mais líder em soluções de resiliência e adaptação climática. A combinação entre as empresas aproveita a complementaridade em áreas avaliação do risco físico, responsabilidade legal, vulnerabilidade, planeamento da resiliência, transição, análise de dados climáticos e modelação do risco.

Com os cerca 50 especialistas técnicos da Acclimatise, a capacidade do CRH expande significativamente para responder à crescente procura de serviços de resiliência climática.

“A combinação dos recursos da Acclimatise e do CRH reforçará o posicionamento da empresa na área dos riscos climáticos físicos, permitindo oferecer ao mercado uma gama mais ampla de serviços sobre clima e resiliência”, lê-se no comunicado divulgado.

Sediada no Reino Unido com equipas em França, nos Estados Unidos e na Índia, a Acclimatise já concluiu mais de 450 projetos de consultoria em adaptação climática desde a sua fundação em 2004, tendo desenvolvido ainda uma plataforma única para assimilar e aplicar modelos climáticos e dados de observação da Terra, de forma a apoiar análises de risco e aplicações online.

Recomendadas

Emissões de gases com efeito de estufa aumentaram 18% na União Europeia

Os responsáveis pela maior parte das emissões de gases com efeito de estufa foram a indústria e construção, o fornecimento de eletricidade e a agricultura (14%), divulga o Eurostat.

Projeto de 31 milhões de euros para proteção florestal vai beneficiar 15 mil hectares

O projeto terá em conta também a redução do risco de incêndio, com a diversificação e combinação de espécies, criação de faixas de gestão de combustível e vigilância regular.

Premium“Não podemos ter mil hectares intervencionados com um enclave”, afirma secretário de Estado das Florestas

Arrendamento forçado é apontado pelo secretário de Estado das Florestas como garantia de que “ínfima minoria” não condicione áreas que podem travar incêndios e garantir apoios a produtores até agora excluídos desses rendimentos.
Comentários