Portugal lança ‘campeonato do mundo’ para cientistas de dados

Como em todas as competições, há prémios para os melhores: a organização vai distribuir 13.500 euros pelos vencedores.

Nova IMS

A ideia foi de Rui Mendes, Leonid Kholkine e Miguel Monteiro e conta com a parceria da Nova Information Management School (Nova IMS) e tem o apoio da ScaleUp Porto – a World Data League é um projeto português que quer juntar «cientistas de dados de todo o mundo para resolver problemas do milénio», em concreto sobre o tema do Objetivo 11 das Nações Unidas: Cidades e Comunidades Sustentáveis.

Esta competição decorre entre abril e julho, com várias fases. A primeira etapa, de 1 de abril a 31 de maio, serve para que as equipas enfrentem vários desafios, com acesso a «bases de dados reais de autarquias, empresas e organizações». Estes dados são fornecidos pela NOVA Cidade – Urban Analytics Lab.

Durante o mês de junho serão anunciados os dez finalistas que passam à final da World Data League, que decorre entre 15 e 17 de Julho, para resolver um problema comum a todos. No final desta “maratona” de dados, serão encontradas três equipas vencedoras.

Como em todas as competições, há prémios para os melhores: a organização vai distribuir 13.500 euros pelos três vencedores, mas durante a primeira fase também serão entregues prémios monetários, neste caso, de 1500 euros.

As inscrições estão abertas até 15 de março, no site da World Data League.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

Agência Espacial Europeia tem 125 mil euros para apoiar projetos portugueses

As empresas e institutos de investigação portugueses interessados em transferir tecnologia espacial para criar novos produtos ao serviço da Terra já podem inscrever-se no programa “Spark 4 Business 2021”.

Efacec promove ‘crowdsourcing’ para empreendedores

As propostas serão avaliadas por uma equipa multidisciplinar da empresa e as propostas escolhidas terão acesso a uma parceria a longo prazo, validação da solução, oportunidade de negócio sustentável e à experimentação, exposição e expansão junto da Efacec.

Shilling lança fundo de 30 milhões de euros para investir em startups tecnológicas

O Shilling Founders Fund, no qual a Atomico está envolvida, está desenhado por fundadores para fundadores e baseia-se num modelo de partilha de lucros. É uma forma de os grandes empreendedores valorizarem (mais) o ecossistema e apoiarem outros jovens gestores que passaram pelos mesmos desafios.
Comentários