Xanana Gusmão acredita que divulgar dados sobre projetos Mar de Timor ajudará à união do país

O negociador principal de Timor-Leste para o Mar de Timor, Xanana Gusmão, dise hoje que divulgar dados sobre os projetos no setor petrolífero ajudará a unir os timorenses em torno das estratégias de desenvolvimento do país.

Xanana Gusmão falava à Lusa à margem de um “Seminário nacional sobre assuntos relacionados com Fronteiras Marítimas e o seu impacto sobre atividades petrolíferas”, em que foram convidados todos os membros do Governo, diretores-gerais, diretores nacionais e responsáveis das autoridades municipais.

Um encontro “muito, muito importante” porque ajuda a clarificar aspetos de projetos que são complexos e a responder a dúvidas que têm surgido sobre as estratégias do Governo, expicou Xanana Gusmão.

“Percebemos, como Estado novo e recente que as coisas não são do conhecimento de todos e então aparecem as dúvidas. Aclaradas as dúvidas podemos todos ter um só pensamento e todos estar unidos na consecução daquilo que queremos para o desenvolvimento de Timor”, afirmou à Lusa.

“Às vezes por causa da liberdade de pensamento, as pessoas falam sem muito conhecimento da causa, e têm o direito de ter dúvidas. O problema é que ao apresentar as dúvidas não o fazem de uma maneira correta”, disse.

Oportunidades com as de hoje – o seminário está a ser transmitido em direto pelas televisões timorenses – são importantes, disse, especialmente por estarem a ser acompanhadas por políticos, responsáveis de entidades e instituições do próprio Estado, sociedade civil, académico e setor privado.

“Todos nós estarmos a comungar o mesmo objetivo o mesmo esforço e quando isto começar a andar, no local onde este projeto todo vai ter lugar, já existirá uma consciência -pelo conhecimento que vão adquirindo – da parte da população em participar mesmo.

O encontro decorre com a presença, entre outros, do primeiro-ministro Taur Matan Ruak, do presidente do Parlamento Nacional, Arão Noé Amaral, do presidente do Tribunal de Recurso, Deolindo dos Santos, de vários membros do Governo, deputados e outros dirigentes nacionais.

O corpo diplomático “não foi convidado” visto tratar-se de um seminário “nacional”, explicou à Lusa uma fonte do Gabinete de Fronteiras Marítimas.

Entre os ausentes destacaram-se o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo e o secretário-geral da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), o maior partido da oposição, Mari Alkatiri.

Além das questões financeiras e económicas do projeto, explicou Xanana Gusmão, o encontro analisará ainda “objetivos estratégicos” para esta nova fase da vida de Timor-Leste.

Ler mais
Recomendadas

Revolta dos “coletes amarelos” já causou prejuízos superiores a mil milhões de euros

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, disse hoje que os protestos foram um golpe sério para as empresas e a economia da nação.

Emmanuel Macron fala aos franceses na segunda-feira

O Presidente francês, Emmanuel Macron, vai dirigir-se à nação na segunda-feira às 20:00 (19:00 em Lisboa), anunciou hoje o Eliseu, após o silêncio em relação às últimas manifestações dos “coletes amarelos”.

Bernard Madoff: 10 anos sobre maior esquema Ponzi da história

Considerado o autor da maior fraude de sempre, foi condenado, aos 71 anos, a 150 anos de prisão. Em tribunal, pediu desculpa aos investidores, empregados e à mulher.
Comentários