Daniel Proença Carvalho: branqueamento de capitais é “um dos maiores problemas que o mundo enfrenta”

Advogado abriu conferência promovida pelo novo Observatório Português de Compliance e Regulatório, que conta com o apoio do Jornal Económico.

O advogado Daniel Proença de Carvalho considera que o tema do branqueamento de capitais, que é hoje debatido na primeira conferência promovida pelo novo Observatório Português de Compliance e Regulatório, “convoca a sociedade em geral”.

Na abertura do evento, que conta com o apoio do Jornal Económico, o sócio presidente da Uría Menéndez – Proença de Carvalho frisou que o branqueamento de capitais e o terrorismo são “um dos maiores problemas que o mundo enfrenta”, já que a globalização e a liberdade internacional podem gerar “circuitos livres e a circulação de capitais que levam ao crime”.

O orador avalia a legislação europeia como “exatamente complexa” e alerta para a necessidade de combate ao terrorismo e branqueamento de capitais”. Diz ainda que no que toca a legislacao , existe ” um cuidado extremo, de uma grande exigência de acompanhamento jurídico”. Por isso, considera que as empresas devem dotar-se de ” juristas e advogados numa missão preventiva”.

Relacionadas

Novo regime de repressão do branqueamento de capitais “vai longe demais”

Crítica partiu de Rui Patrício, sócio da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva, que criticou a nova proposta.
Recomendadas

Portugal continua com menos gente e cada vez mais velho

Uma população mais pequena, mais idosa, mas com poucas diminuições na percentagem em risco de pobreza. Tendência de decréscimo populacional e envelhecimento poderia ser ainda mais notória, não fosse o saldo migratório

Exportações de vestuário caem 43% em maio

A tendência de queda manteve-se em maio, com a indústria de vestuário a ter uma queda de 43% de envios para o exterior. Desde o início do ano, as empresas do setor perderam mais de 300 milhões de euros em exportações.

Vice-presidente da Comissão Europeia concorda com preocupações da CIP

Carta enviada em abril por António Saraiva a Ursula von der Leyen obteve resposta do seu “vice”. Valdis Dombrovskis defende “que a Europa deve estar equipada com os instrumentos necessários para enfrentar as consequências económicas e sociais da crise”.
Comentários