Vacina portuguesa contra Covid-19 poderá estar pronta em 2022, mas vai precisar de 20 milhões de apoio público

Sediada em Cantanhede, a Immunethep pretende arrancar com os ensaios clínicos ainda este ano para que mais tarde possa pedir uma autorização provisória de emergência de entrada no mercado. No entanto, para que estes prazos sejam cumpridos será necessário um apoio do Estado, explica Bruno Santos à JE TV “Fast Talk”.

Portugal poderá registar a primeira vacina contra a Covid-19 em 2022. O fármaco está a ser desenvolvido pela Immunethep, uma empresa sediada em Cantanhede, que pretende arrancar com os ensaios clínicos ainda este ano.

No entanto, para que os prazos sejam cumpridos e o processo se torne mais célere, a empresa de biotecnologia alerta que será necessário um investimento por parte do Estado na ordem dos 20 milhões de euros para arrancar com a fase 1 e 2 e pedir a aprovação provisória de entrada no mercado.

“Numa situação de pandemia é difícil ter o dinheiro necessário no período necessário para que as coisas aconteçam mais depressa”, explica Bruno Santos.

Em entrevista à JE TV, o CEO e fundador da Immunethep explica que impactos uma nova vacina poderá ter no setor da biotecnologia em Portugal e de que maneira esta se diferenciará daquelas que já estão no mercado no combate à pandemia.

Recomendadas

Abílio Martins de saída da TAP

Responsável pelas áreas de marketing, vendas, costumer care e cliente, entre outras, Abílio Martins era considerado próximo dos acionistas privados.

“Portugal tem impactado a forma como trabalhamos em todo o mundo”, sublinha presidente-executivo do grupo do RAC

O maior produtor mundial de frutos vermelhos quer duplicar a capacidade que tem instalada em Portugal, uma operação que considera fundamental para a estratégia que tem para o mercado europeu. Nesta Fast Talk, o presidente-executivo do grupo do RAC, Hector Lujan, fala sobre o grupo, os desafios que se colocam à gestão dos recursos humanos na agroindústria e as perspectivas de futuro assentes na sustentabilidade.

Altice envia esta sexta-feira proposta técnica para prolongar serviço SIRESP por 18 meses

A Altice Portugal vai enviar esta sexta-feira a proposta técnico operacional para a prorrogação por 18 meses do serviço da rede de comunicações de emergência SIRESP, disse fonte oficial da empresa à Lusa.
Comentários