360imprimir: Faturar 100 milhões de euros em 2020

A 360 Imprimir prevê faturar 100 milhões de euros em 2020 e ter a funcionar a sua própria One-Stop Shop. A gráfica online fechou uma ronda de investimento de três milhões de euros , apoiada pela Pathena.

A Startup portuguesa 360imprimir, criada em 2013 por seis sócios, que foram ao encontro do que consideravam ser uma oportunidade de mercado, fez, recentemente, um levantamento de três milhões de euros, com o objetivo de acelerar o seu crescimento em Portugal, Espanha, Brasil e México. Argentina e Chile são os dois mercados que já estão debaixo de olho dos fundadores da empresa. Na Europa pretendem, num futuro indeterminado, realizar testes-piloto.

O investimento de 3 milhões de euros, suportado pela sociedade de capital de risco Pathena (liderada por António Murta) também irá servir para reforçar a equipa e criar uma one-stop shop de produtos e serviços de marketing. Para o efeito, a gráfica online pretende “entrar num novo mercado a cada trimestre e lançar um novo produto ou serviço a cada mês”, referiu à StartUp Magazine Sérgio Vieira, um dos fundadores e CEO da empresa. “Assim serão os próximos dois anos”, acrescenta.

Portugal e Espanha detêm cerca de 50% da faturação da empresa, enquanto o Brasil fica com a outra metade. O México contribui para as contas da empresa com uma pequena franja de mercado. A explicação está no facto de a 360imprimir só ter começado a operar naquele país no primeiro trimestre deste ano. No total, a empresa conta já com mais de 200 mil clientes.

Fundada por Sérgio Vieira, José Salgado, Diogo Silva, João Matias, Jorge Correia e Pedro Gaspar, a gráfica surgiu da experiência de dois dos fundadores, que se depararam com a dificuldade em adquirir produtos de impressão a preços económicos, – custo unitário dos cartões-de-visita era igual ao custo de um café. Esta situação levou, então, à junção dos seis empreendedores que, com uma análise cuidada, tentaram entender as faces do negócio, as fraquezas da indústria e as dificuldades dos clientes para conseguir chegar ao produto. Processo que ficou concluído com a criação desta startup portuguesa.

A 360imprimir, com um investimento inicial de dez mil euros de capitais próprios, prevê faturar sete milhões de euros até ao final deste ano, representando um crescimento de quase 300% face ao ano passado. De acordo com Sérgio Vieira, o foco da empresa está em “atingir o grande objetivo a médio prazo: faturar cem milhões de euros em 2020”. Refere, ainda, a importância desta ronda de investimento “na medida em que permite implementar estratégias para alcançar o nível de faturação”.

Para futuros investimentos, a gráfica online prevê uma nova ronda de investimento no final de 2018, início de 2019, como alavanca para alcançar os cem milhões de euros de faturação.

Os desafios colocados aos empreendedores

Não sendo a criação da 360imprimir uma exceção, os empreendedores defrontaram-se com alguns desafios. Tiveram dificuldade em arranjar uma gráfica que lhes cedesse tempo para poderem apresentar o software por eles desenvolvido. A “mente fechada” das indústrias, que se recusavam a aceitar que uma empresa online poderia mudar a sua forma de produção, também foi um bloqueio. Mas, com persistência, os fundadores adquiriram a confiança das gráficas.

A partir daí, apenas foi necessário que as gráficas melhorassem alguns processos para que a empresa alcançasse a qualidade pretendida, bem como ensinar as pessoas a criar os produtos online.

Personalizar os produtos foi uma opção que surgiu em 2015, quando a gráfica online entrou no mercado brasileiro. Os fundadores perceberam que os clientes se encontravam recetivos a pagar mais pelo produto, se tivessem a opção de escolher o design dos cartões e dos cartazes. Com isto tentaram a mudança nos outros países. O mercado espanhol teve um crescimento imediato de quase 20%.

Do-it-yourself

Segundo Sérgio Vieira, foi desenvolvida “uma plataforma de e-commerce, focada no Do-it-yourself” dos clientes, que assenta num modelo Fabless (sem capacidade própria), permitindo a evolução “para todos os produtos impressos e serviços associados”. A plataforma disponibiliza os serviços de impressão e design, sendo todo o processo de compra feito online.

Já “no caso dos serviços de design, os clientes proporcionam informação útil para que os nossos designers possam elaborar várias propostas”, refere o CEO. “Quanto aos serviços de impressão, os clientes escolhem as características dos produtos que pretendem adquirir, selecionam uma opção de design e escolhem um prazo de entrega”, conclui.

A 360imprimir procura associar produtos e serviços de qualidade a um processo de compra simples, rápido e eficaz.

Atualmente, a empresa é constituída por uma equipa de quase 80 colaboradores, com o objetivo de duplicar o número até ao final de 2016. Para tal, foram criados postos de trabalho, principalmente nas áreas de Marketing, TI e Business Intelligence.

Ler mais
Recomendadas

Startup Stripe passa a valer mais do que a Airbnb ou SpaceX

A empresa de sistemas de pagamentos, que anunciou este mês a sua chegada a Portugal, recebeu um financiamento de 250 milhões de dólares das sociedades de capital de risco General Catalyst, Sequoia Capital e Andreessen Horowitz.

Google apoia portuguesa Barkyn como startup em crescimento

“Durante estes dois meses vamos estar rodeados pelos maiores peritos digitais da Google, o que terá certamente um enorme impacto na afirmação da Barkyn como startup líder do espaço pet na Europa”, garantiu um dos responsáveis da Barkyn.

FlixBus anuncia expansão em Portugal com abertura do mercado dos ‘expressos’

A decisão foi tomada pela empresa de origem alemã após a aprovação pelo Conselho de Ministros e publicação hoje, em Diário da República, da legislação que promove a abertura do mercado português de ‘Expressos’ à concorrência.
Comentários