5G: EUA poderá beneficiar financeiramente Ericsson e Nokia para superarem rival Huawei

A proeminência da Huawei na implementação do 5G por todo mundo é inegável e as autoridades norte-americanas, tendo em conta o bloqueio da Casa Branca à empresa, receiam que a empresa se torne dominante na corrida da nova geração móvel.

O boicote dos Estados Unidos às empresas chinesas, sobretudo a Huawei, permanece ativo e, de acordo com o “Financial Times” (FT), a administração Trump tem procurado mecanismos e novas formas de promover os rivais diretos da tecnológica no desenvolvimento e infraestruturas da quinta geração móvel (5G), a Ericsson e Nokia. Uma nova arma de combate dos EUA será a canalização de financiamento norte-americano para a Ericsson e Nokia.

A proeminência da Huawei na implementação do 5G por todo mundo é inegável e as autoridades norte-americanas, tendo em conta o bloqueio da Casa Branca à empresa, receiam que a empresa se torne dominante na corrida da nova geração móvel.

Por isso, membros da administração Trump sugeriram  a emissão de crédito para a Nokia e Ericsson, entre outras tecnológicas na área do 5G, para que consigam competir face aos recursos financeiros da Huawei.

Os EUA não têm nenhuma empresa nacional com uma posição capaz de rivalizar com a Huawei e, por isso, tendo em conta o boicote promovido à empresa chinesa, pretendem alavancar outras companhias no que respeita ao 5G, até para não correr o risco de ter os norte-americanos terem de recorrer à Huawei – mais tarde ou mais cedo – por causa do 5G.

“Abandonamos a nossa superioridade na produção de dispositivos de telecomunicações há décadas e agora percebemos que essa pode não ter sido a melhor decisão por razões de segurança nacional. Quase todos os departamentos e agências procuram desesperadamente, agora, maneiras de voltar ao jogo ”, afirmou um alto quadro da administração Trump não identificado, citado pelo FT.

O facto de os EUA não terem uma grande empresa nacional capaz de ombrear com a Huawei em matéria de infraestruturas para o 5G é algo que não agrada ao presidente, Donald Trump, sendo que a Casa Branca está também a estudar uma forma de incentivar empresas do país a investir no 5G. Assim, empresas de outros setores nos EUA não dependeriam de uma empresa para criar uma rede de infraestruturas para o 5G.

Ler mais
Recomendadas

Exportações de componentes automóveis mantêm quebra acentuada

Em comunicado enviado à agência Lusa, a AFIA sublinha que os efeitos da pandemia de covid-19 continuam a ser notórios, notando que desde 2009 não se verificava um mês de maio com valores tão baixos nas exportações de componentes automóveis, a registarem uma queda de mais de metade, para 388 milhões de euros.

Tesla pode entrar no S&P 500, estima Reuters

A empresa gerida por Musk conta com uma capitalização de mercado de 250 mil milhões de dólares, maior do que 95% das empresas já pertencentes ao índice norte-americano.

ANA – Aeroportos de Portugal avança com plano de “saídas voluntárias”

“Perante uma crise que sabemos agora ser duradoura, é também necessário, desde já, um redimensionamento das nossas equipas”, referiu Thierry Ligonnière, num ‘email’, enviado aos colaboradores.
Comentários