80.900 portugueses já pediram estatuto de residente no Reino Unido

“Em poucos meses, centenas de milhares de cidadãos da UE e as suas famílias garantiram os seus direitos. Os cidadãos da UE e as suas famílias têm até 31 de dezembro de 2020 para se candidatarem e não queremos que ninguém seja deixado para trás”, afirmou o ministro do Interior do Reino Unido

Cerca de 80.900 portugueses já pediram o estatuto de residente no Reino Unido, necessário para depois do Brexit, divulgou hoje o ministério do Interior britânico, que já recebeu, no total, 861.100 candidaturas de cidadãos europeus e familiares.

O ministro do Interior, Sajid Javid, mostrou-se satisfeito com o progresso do sistema de regularização migratório para os cidadãos da União Europeia, Suíça, Noruega e Liechtenstein, aberto no âmbito do processo da saída do Reino Unido da UE.

“Em poucos meses, centenas de milhares de cidadãos da UE e as suas famílias garantiram os seus direitos. Este é um grande progresso, mas temos mais a fazer. Os cidadãos da UE e as suas famílias têm até 31 de dezembro de 2020 para se candidatarem e não queremos que ninguém seja deixado para trás”, afirmou hoje.

O estatuto de residente no Reino Unido é obrigatório para depois do ‘Brexit’ e garante o acesso ao mercado de trabalho, serviços públicos como a educação, saúde e serviços sociais.

O estatuto de residente permanente é atribuído àqueles com cinco anos consecutivos a viver no Reino Unido, enquanto que os que estão há menos de cinco anos no país terão um título provisório até completarem o tempo necessário.

Este não é um direito automático, mas tem de ser solicitado e concedido pelas autoridades britânicas, sendo o procedimento, gratuito e feito exclusivamente através da Internet.

O governo português estima que residam no Reino Unido cerca de 400 mil portugueses.

O Reino Unido tinha previsto sair da UE a 29 de março, mas este prazo foi prorrogado para 31 de outubro.

Ler mais
Recomendadas
pedro-pardal-henriques

Motoristas avançam com greve ao trabalho suplementar no início de setembro

O sindicato dos motoristas de matérias perigosas vai entregar hoje o pré-aviso de greve ao trabalho suplementar, após não chegarem a acordo com os patrões. “O único regime em que as pessoas podem fazer trabalho suplementar sem receberem é a Coreia do Norte”, disse Pardal Henriques.

Londres deixa de participar na maior parte das reuniões da União Europeia a 1 de setembro

“Muitas das discussões nestas reuniões com a UE têm a ver com a União depois da saída do Reino Unido. Libertar os representantes dessas reuniões permite que eles concentrem melhor os seus talentos nas prioridades nacionais imediatas”, afirmou Steve Barclay.
greve_motoristas_materias_perigosas_1

Greve dos motoristas originou 8 mil notícias e 205 horas de transmissão na televisão

As entidades com maior destaque foram a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) e o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).
Comentários