À atenção da banca: Revolut vai emitir cartões de crédito a partir de dezembro

A Revolut prepara-se para emitir cartões de crédito já em dezembro deste ano. “Estamos a trabalhar nisso”, disse Nikolay Storonsky. “Em dezembro vamos operacionalizar o banco e passar a emitir cartões de crédito”, referiu o CEO da Revolut. “Só a partir desse momento é que nos poderão qualificar como um verdadeiro banco digital

“Ainda não nos podem qualificar como um verdadeiro banco digital, porque por enquanto apenas temos uma parceria para financiamento. Não emprestamos dinheiro” com depósitos dos clientes, revelou Nikolay Storonsky, co-fundador e CEO da Revolut, uma fintech, ao Jornal Económico, na Web Summit.

Em breve, o substantivo fintech será coisa do passado, porque a Revolut, fundada em julho de 2015, transformar-se-á num verdadeiro banco digital.

A Revolut prepara-se para emitir cartões de crédito já em dezembro deste ano. “Estamos a trabalhar nisso”, disse Nikolay Storonsky. “Em dezembro vamos operacionalizar o banco e passar a emitir cartões de crédito”, referiu o CEO da Revolut. “Só a partir desse momento é que nos poderão qualificar como um verdadeiro banco digital. Por enquanto, ainda não”, explicou Nikolay Storonsky.

Atualmente, a Revolut tem nove milhões de clientes entre o Reino Unido e a zona euro. Estreou-se no mercado asiático há cerca de duas semanas na Singapura e anunciou este mês que iria entrar nos Estados Unidos, através de uma parceria com a Mastercard. Nikolay Storonsky quer continuar a crescer. Para 2020, o objetivo é chegar aos “20 a 25 milhões de clientes” e “lançar-nos noutros mercados”, referiu.

Recomendadas

Qual o futuro do dinheiro? Gerir, pagar e receber online, dizem especialistas

Se os cartões sem contacto já são uma realidade para muitos portugueses o mesmo não se pode dizer dos métodos de pagamento com dados biométricos ou através de acessórios, como anéis. No entanto, a pandemia veio mudar a visão dos mais céticos.

PremiumCore Capital compra SousaCamp por 12,3 milhões de euros

A escritura de venda dos créditos do Novo Banco e do Crédito Agrícola no grupo Sousacamp à capital de risco Core Capital, foi finalmente assinada esta quinta-feira, dia 28 de maio.

Portugal é dos países europeus que mais investe em ‘open banking’, conclui estudo

A oportunidade de melhorar a experiência do cliente foi o maior catalisador dos investimentos, segundo a análise da plataforma sueca Tink.
Comentários