A economia mundial em 2020

A economia mundial está numa fase tardia do ciclo de crescimento, mas não há ainda sinais de viragem em 2020. Como sempre, há um conjunto de riscos no horizonte, mas os mercados financeiros continuam a mostrar um otimismo moderado.

As grandes instituições, como o FMI e a OCDE, reviram em baixa as previsões para 2020, mas o panorama continua a ser de expansão económica.

A economia mundial está numa fase tardia do ciclo de crescimento, contudo não há ainda sinais de viragem em 2020. Como sempre, há um conjunto de riscos no horizonte, mas os mercados financeiros continuam a mostrar um otimismo moderado. Para 2020, destacam-se os riscos “conhecidos”: a “guerra comercial”, as eleições nos EUA e o Brexit.

Tendo em conta os indicadores avançados, como os índices de confiança e os PMI, percebe-se uma melhoria nos últimos meses, o que resulta de otimismo quanto à resolução (ou pelo menos não agravamento) da “guerra comercial”. Por outro lado, a perspetiva de manutenção de políticas monetárias favoráveis ao crescimento e a possibilidade de os governos virem a aumentar a despesa para estimular a atividade contribuem para um quadro mais positivo.

É verdade que o ciclo de crescimento dos EUA já é o mais longo da história, mas a expansão acumulada ainda está longe da registada em outros momentos, como as décadas de 60 e 90. As bolsas mostram otimismo, com vários índices compósitos em máximos históricos e a maioria dos restantes em máximos de ciclo.

É nas taxas de juro que a euforia arrefece – a evolução dos mercados monetários e de dívida mostram pouco espaço para subidas de taxas, reflexo da necessidade de taxas baixas e ausência de inflação.

Recomendadas

Esta opinião só tem dois recados

Ninguém gosta de ser chamado de moço ou moça de recados, nem de ver manchada a reputação de independência.

Mais redistribuição? Sim, por favor

Dados da OCDE mostram que em Portugal pode demorar até cinco gerações para que os descendentes de uma família pobre atinjam o rendimento médio nacional.

A TAP

A nacionalização avança perante a pressão de ‘lobbies’ vários e defendida por bem conhecidos mamões do Estado que temos.
Comentários