A greve das conservatórias “é inoportuna e prejudicial aos trabalhadores” diz o Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado

A greve dos notários traz acoplada uma guerra de sindicatos. De um lado os sindicatos que decretaram a greve – ASCR, Associação Sindical dos Conservadores e Registos, que se juntou à FESAP, Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos, e SNR, Sindicato Nacional dos Registos. Do outro o Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado que critica a greve que se prolonga pela semana. “A greve dos Conservadores e dos Assistentes Técnicos é prejudicial aos Oficiais”, dizem.

O Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado enviou um comunicado onde critica a greve dos trabalhadores do Instituto dos Registos e Notariado (IRN) promovida pela Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (FESAP), pela ASCR, Associação Sindical dos Conservadores e Registos e SNR, Sindicato Nacional dos Registos.

Hoje várias conservatórias estiveram encerradas, nomeadamente no interior do pais, devido ao primeiro de cinco dias de greve dos trabalhadores do Instituto dos Registos e Notariado (IRN).

“A greve dos Conservadores e dos Assistentes Técnicos é prejudicial aos Oficiais”, diz o  Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado. “Grevistas querem promover-se à boleia da actual Revisão de Carreiras e ascender sem concurso”, diz o STRN.

“A chamada greve dos registos que começou hoje e se prolonga por toda esta semana, afinal é inoportuna e prejudicial aos trabalhadores dos registos” – considera o STRN, Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado pela voz do seu Presidente, Arménio Maximino.

O STRN é o grande sindicato do sector (mais de 70% dos cerca de 5.400 trabalhadores), que, “por coincidência, chegou nos últimos dias a acordo com o Governo para a Revisão das Carreiras, uma aspiração com praticamente 40 anos”, diz a nota enviada às redações.

“De acodo com o STRN, os sindicatos que decretaram a greve desta semana representam poucos trabalhadores e tentam enganar e lançar a confusão no setor, para terem algum apoio para as reivindicações que não conseguiram incluir no projeto”.

Na greve está em causa revisão das carreiras e do sistema remuneratório, que os sindicatos que decretaram a greve – ASCR, Associação Sindical dos Conservadores e Registos, que se juntou à FESAP, Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos, e SNR, Sindicato Nacional dos Registos – defendem que deve ser feita em conjunto.

“Estes sindicatos não aceitam a valorização dos Oficiais conseguida no decorrer da negociação e pretendem integrar cerca de 300 trabalhadores do chamado regime geral que querem ascender ao estatuto de Oficial de Registos sem se submeterem a concurso”, diz o STRN.

“Isto é uma greve contra e em prejuízo dos trabalhadores feita por um pequeno grupo de funcionários que se querem promover à boleia da atual Revisão de Carreiras” – acusa Arménio Maximino.

 

Ler mais
Recomendadas

Perto de 120 novos inspetores iniciaram funções na PJ

Depois de terem terminado o período de nove meses de estágio com sucesso, 118 novos inspectores da PJ vão agora iniciar funções, representando um reforço de mais de 10% nos operacionais para investigar a criminalidade mais grave e complexa do nosso país. É a primeira vez desde 2015 que a PJ receberá “sangue novo”. Estão ainda mais 100 reforços na calha.

Harvey Weinstein considerado culpado de violação e agressão sexual

O veridicto foi divulgado esta segunda-feira. Weinstein foi considerado culpado de ato sexual criminoso em primeiro grau e violação em terceiro, segundo o jornal “The New York Times”. Até agora, ainda não foram dados pormenores da pena que será aplicada.

Mundo tem de se preparar para uma “eventual pandemia”, diz OMS

“Devemos concentrar-nos na contenção [da epidemia], enquanto fazemos todo o possível para nos prepararmos para uma possível pandemia”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, numa conferência de imprensa em Genebra.
Comentários