A taxa de esforço das famílias portuguesas em 2019 foi de 76%, aponta DECO

Quanto maior for a taxa de esforço, maior o risco de surgirem dificuldades financeiras, no caso de ocorrer um imprevisto, como uma situação de desemprego, doença ou divórcio.

O que é a taxa de esforço?

A taxa de esforço é uma medida de análise do risco de crédito que relaciona o valor das prestações bancárias (prestação do crédito habitação, crédito automóvel, cartões de credito, crédito pessoal) com os rendimentos do agregado familiar.

Esta taxa, em traços largos, é o rendimento que o consumidor ou a família tem disponível para fazer face às despesas do dia-a-dia (por exemplo: alimentação, transportes e combustível, educação e lazer) após o pagamento das obrigações mensais com créditos previamente contraídos.

A taxa de esforço calcula-se segundo a fórmula:

  Taxa de esforço = (Encargos financeiros mensais / Rendimento) x 100

Quanto maior for a taxa de esforço, maior o risco de surgirem dificuldades financeiras, no caso de ocorrer um imprevisto, como uma situação de desemprego, doença ou divórcio.

A taxa de esforço não deve ser superior a 35%.

Em 2019, a taxa de esforço foi de 76%.

Analisando a situação média das famílias portuguesas que recorreram à DECO em 2019, apurámos que o rendimento médio líquido mensal da família portuguesa é de 1.200 euros, e que tem, em média, cinco responsabilidades de crédito: um crédito à habitação, dois créditos pessoais e dois cartões de crédito. Por mês, em regra são despendidos 920 euros com crédito, logo as famílias ficam apenas com 24% do rendimento para fazer face às despesas com as necessidades básicas, como alimentação, serviços essenciais e saúde.

Portanto, face a este cenário, concluímos que o problema do sobre-endividamento das famílias portuguesas é ainda muito grave, carecendo de intervenção a nível da regulação e da literacia financeira.

Informe-se connosco.

Procure-nos em: DECO MADEIRA na Loja do Munícipe do Caniço, Edifício Jardins do Caniço loja 25, Rua Doutor Francisco Peres; 9125 – 014 Caniço; deco.madeira@deco.pt; ou contacte-nos para o número: 968 800 489.

Ler mais
Recomendadas

Usucapião: como apropriar-se legalmente de um bem que não é seu?

Sabia que legalmente é possível apropriar-se de um bem que não é seu se o possuir durante um longo período de tempo e de forma continuada? Descubra como adquirir este direito.

Pensão de alimentos: o que acontece quando o progenitor não cumpre?

Em caso de divórcio, a Lei portuguesa obriga a que o progenitor a quem não é concedida a guarda do filho menor pague uma pensão de alimentos. Mas o que acontece quando este não cumpre a sua obrigação? Saiba tudo neste artigo.

Mitos sobre o consumo

Regule o termóstato para 20ºC no inverno. Cada grau adicional reflete-se na fatura. Pondere a compra de um termóstato portátil e programe a caldeira para aquecer apenas as divisões com pessoas.
Comentários