Abílio Martins de saída da TAP (com áudio)

Responsável pelas áreas de marketing, vendas, costumer care e cliente, entre outras, Abílio Martins era considerado próximo dos acionistas privados.

Abílio Martins

Abílio Martins, está de saída da companhia área, de acordo com uma mensagem enviada esta sexta-feira, 23 de abril, aos colaboradores, a que o Jornal Económico teve acesso.

O Chief Marketing & Sales Officer da TAP era considerado próximo dos acionistas privados da TAP, sendo até agora responsável pelas áreas de marketing e vendas, costumer care, cliente, comunicação, catering e pessoal de cabine.

A saída de Abílio Martins surge numa altura em que o Estado assumiu o controlo da TAP e em que existe grande incerteza quanto ao futuro da companhia, devido à crise no sector provocada pela pandemia de Covid-19. A empresa, que anunciou na quarta um prejuízo recorde de 1,2 mil milhões de euros em 2020, teve de recorrer a uma injeção de capitais públicos e terá de realizar uma dura reestruturação, por imposição de Bruxelas.

Na mensagem enviada aos colaboradores da TAP, Abílio Martins faz um balanço do trabalho desenvolvido nas suas áreas e relembra as mudanças feitas na forma como a companhia encara o cliente e passou a apostar fortemente na digitalização, que levou, segundo o responsável, a um crescimento de 129% das vendas nos canais digitais.

“O foco de toda a organização no cliente permitiu que a TAP deixasse de ser a segunda pior companhia da Star Alliance e passasse a integrar a média da indústria. Em paralelo, investimos para conhecer melhor cada um dos clientes TAP através de sofisticadas ferramentas digitais. O enorme capital de conhecimento que hoje temos permitiu-nos dar um salto qualitativo e aumentar as vendas”, refere.

O responsável realça que “os resultados validaram a estratégia. O NPS – indicador que mede a satisfação do cliente —  duplicou em dois anos e as vendas diretas no Flytap também cresceram 129%, gerando significativas poupanças de custos. Estes dois pilares revelaram-se fundamentais na estratégia de expansão de vendas num período de grande intensidade em que abrimos 31 novas rotas”.

Abílio Martins recorda ainda o facto de ter sido criado o programa Stopover, que permitiu potenciar o hub de Lisboa, atraindo visitantes de todo o mundo para Portugal. “Passageiros que só rodavam em Lisboa para seguir, em poucas horas, para outros destinos passaram a aproveitar a oportunidade para permanecer alguns dias em Portugal”, frisa.

Antes de ingressar na TAP, após a privatização da companhia, em 2015, Abílio Martins foi alto quadro do grupo Portugal Telecom, tendo sido responsável pela área da comunicação e pelo portal Sapo, entre outras responsabilidades.

Ler mais
Relacionadas

TAP terminou 2020 com liquidez de 518 milhões de euros

Medidas tomadas pela administração da TAP para enfrentar a crise da Covid-19 permitiram manter liquidez suficiente até à formalização do auxílio de Estado, refere a companhia aérea nacional na divulgação dos resultados de 2020 da TAP, S.A.

TAP: Conclusão das negociações em Bruxelas “está para breve”

O Plano de Reestruturação prevê que a companhia aérea atinja um resultado operacional equilibrado até 2023, mas com uma “recuperação lenta da atividade da TAP”.

Segunda fase das medidas voluntárias da TAP contou com 122 adesões

Assim, recordou a transportadora, “na primeira fase de candidaturas, que decorreu entre 11 de fevereiro e 24 de março, das 690 adesões previamente comunicadas, concretizaram-se 669, com um impacto no redimensionamento de cerca de 630 postos de trabalho”.

TAP: como se explica o prejuízo recorde em 2020?

O resultado da TAP SA representa um agravamento de 1.134,6 milhões de euros face ao resultado líquido negativo obtido em 2019, que foi de -95,6 milhões de euros. Com impacto negativo assinalam-se os custos de ‘overhedge de Jet Fuel’, em resultado da quebra de atividade sofrida pela pandemia.
Recomendadas

SIC avança com nova emissão de obrigações no valor de 30 milhões com juro mais baixo

A empresa do grupo Impresa diz que se trata de uma oferta pública de troca parcial e voluntária de um milhão de obrigações com um valor unitário de 30 euros. 

Segundo maior acionista da REN quer vender participação de 12%

O Oman Oil Company SAOC quer vender os seus 12%. A empresa omanita avisa que o processo de venda ainda não foi iniciado e que nenhuma decisão formal foi ainda tomada. Participação vale mais de 190 milhões de euros.

Lisbon Bar Show tem regresso marcado para 16 e 17 de maio de 2022

Ao Jornal Económico, o organizador do Lisbon Bar Show calcula que o orçamento para este evento já ultrapasse um milhão de euros, incluindo a forte aposta dos expositores, na sua grande maioria produtores e distribuidores de bebidas alcoólicas e de acompanhamento dos respetivos ‘cocktails’.
Comentários