“Abrandamento do turismo significa abrandamento severo do crescimento económico da Madeira”, alerta reitor da UMa

O reitor da Universidade da Madeira salienta que a indústria do turismo “é particularmente vulnerável a choques internos e externos e enfrenta muitos desafios durante a sua retoma”.

O turismo assume um papel de grande relevo no desenvolvimento económico da Região Autónoma da Madeira. O novo reitor da Universidade da Madeira (UMa), Sílvio Fernandes, sublinha que a indústria do turismo “é particularmente vulnerável a choques internos e externos e enfrenta muitos desafios durante a sua retoma”, e que face à dependência da região autónoma do turismo um abrandamento significa um “abrandamento severo” do crescimento económica da ilha.

O reitor da UMa sublinha, que face ao impacto que o turismo tem na região, é importante ter investigação científica nesta área, através de instituições como o Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo – CiTUR Madeira.

A UMa tem também uma unidade de investigação ligada ao turismo. Com a Madeira a enfrentar uma pandemia global qual é a importância de ter uma unidade deste tipo na academia?

O Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo – CiTUR Madeira tem como missão o desenvolvimento de investigação aplicada com caráter multidisciplinar e interdisciplinar, e a produção e partilha do conhecimento científico em turismo.

Como se pode aproveitar o know-how gerado nesse centro de investigação de turismo para potenciar novas estratégias de desenvolvimento do setor, face à importância que o turismo tem na economia da Madeira?

A indústria do turismo é um dos pilares económicos determinantes para o desenvolvimento de muitos países, por potenciar a criação de emprego, bem como contribuir para o aumento das exportações, ganhos a nível de câmbio, de investimento, e impelindo para uma maior prosperidade mundial. O sector do turismo em Portugal é um dos sectores económicos com maior expressão e um motor dinâmico em relação às oportunidades de emprego, dado que é responsável, segundo World Travel and Tourism Council – WTTC (2019) por dois em cada dez empregos.

A análise anual do impacto económico do setor das Viagens & Turismo realizada pelo WTTC indica que o setor do turismo em Portugal teve o maior crescimento em relação aos países da UE no ano de 2018. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística, o turismo em Portugal atinge mais um recorde de 27 milhões de visitas em 2019, 7,3% mais que em 2018. Em 2019, o sector cresceu 4,2%, tendo contribuído com 34,6 mil milhões de euros (16,5% do total das atividades económicas), e 0,9 milhões de empregos (18,6% do total) para a economia portuguesa.

No caso da Região Autónoma da Madeira, segundo a Direção Regional de Estatística da Madeira, o número de dormidas no alojamento turístico global aproximou-se, em 2019, dos 8,5 milhões, traduzindo uma quebra de 2,7% face a 2018. Os residentes no estrangeiro contribuíram com cerca de 7,4 milhões de dormidas (-4,1% que em 2018), representando 87,6% do total, enquanto os residentes em Portugal originaram 1,1 milhões de dormidas (+8,5%), ou seja, cerca de 12,4% do total.

A indústria do turismo é particularmente vulnerável a choques internos e externos e enfrenta muitos desafios durante a sua retoma. A atual pandemia, provocada pela COVID-19, está a causar um maior dano à indústria do turismo a nível global que os desastres ou crises anteriores. De acordo com o ICAO (Organização Internacional da Aviação Civil), houve um decréscimo de 50% dos lugares e 60% dos passageiros a nível global. De acordo com o OAG (Official Aviation Guide) Schedules Analyzer, os voos de longo curso caíram 64%. O WTTC também alertou para o facto de que a pandemia da COVID-19 poderia levar à redução de 174 milhões de empregos em todo o mundo na indústria do turismo.

Para uma Região dependente do turismo como é a Região Autónoma da Madeira, o abrandamento do turismo significa simultaneamente um abrandamento severo do seu crescimento económico.

O tipo de análise aqui realizado e os dados apresentados ajudam a perceber quão importante é a recolha de dados, o seu tratamento estatístico e a investigação científica que deve acompanhar o fenómeno do turismo. Esta aquisição é tanto mais importante quanto temos sediada, na nossa Universidade e na Região, que tem no Turismo uma atividade de excelência, um Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo. A Universidade e o seu Projeto de Turismo poderá auxiliar as empresas do sector a analisar as condições do negócio, a criar modelos de apoio à decisão em turismo de forma transversal, a prever cenários de evolução de diferentes indicadores de gestão em turismo, de forma a contribuir para o desenvolvimento do sector e da Região.

Leia aqui a edição do Económico Madeira de 1 de abril.

Ler mais
Recomendadas

Saiba como funciona a tarifa social de água

A Tarifa Familiar da Água traduz-se na isenção dos encargos com a tarifa fixa e num desconto significativo através da aplicação da tarifa do escalão mais baixo. A tarifa social da água não é, atualmente, obrigatória, dependendo da adesão dos Municípios.

Governo da Madeira apela a responsabilidade cívica para controlo da pandemia

O vice-presidente do Governo da Madeira disse que “mais do que anunciar novas medidas, a população tem de continuar a ter cuidado na sua proteção. Se as coisas não correrem bem o Governo é obrigado a dar um passo atrás. Ninguém quer dar esse passo. Tudo estamos a fazer para manter a atividade económica e as empresas a funcionar”.

PCP considera que PRR não serve a Madeira nem o país

O PCP considera que o PRR é um instrumento que a União Europeia (UE) tenta impor aos países, que no essencial “não permite que se use as verbas para dar resposta aos problemas que cada país deve considerar como estruturais”.
Comentários