Abreu integra João Bravo da Costa para reforçar mercado angolano

O advogado, que tem 14 anos de experiência, era até agora sócio do escritório angolano BCSA Advogados, parceiro da PLMJ.

A Abreu Advogados está a reforçar a sua “Angola Desk” através da integração de João Bravo da Costa como sócio contratado. O advogado, que tem 14 anos de experiência, era até agora sócio do escritório angolano BCSA Advogados, parceiro da PLMJ.

O seu trabalho tem passado pela assessoria jurídica a uma série de empresas multinacionais, em operações de reestruturação e fusões e aquisições (M&A), investimento estrangeiro, comércio internacional e questões cambiais, envolvendo essencialmente os sectores financeiro, mineiro e petrolífero, de infraestruturas e distribuição. Do percurso fazem ainda parte transações em geografias como os Emirados Árabes Unidos.

“Representa mais um importante passo no reforço do nosso projeto internacional e da nossa aposta no mercado angolano onde há muitos anos temos uma parceria com a FBL, um escritório líder local, parceria esta que sai reforçada com a vinda do João para a Abreu Advogados onde se dedicará a 100% a este mercado”, disse o managing partner sobre a contratação.

“O João é um advogado que se destaca pela sua experiência ímpar e conhecimentos únicos da jurisdição angolana, pelo que será uma enorme mais-valia para os nossos clientes que trabalham com este mercado”, garante Duarte de Athayde, em comunicado enviado esta sexta-feira à imprensa.

Na opinião de João Bravo da Costa, que também passou pela Miranda & Associados (escritórios de Portugal e Angola), a Abreu tem uma “aposta consistente nos países africanos de língua portuguesa e com uma forte clientela internacional, que são fatores essenciais para mim e para os clientes” que representa.

“Estou muito motivado em contribuir para a afirmação da Abreu e da sua Angola Desk como um player incontornável da advocacia nos PALOP. Identifico-me plenamente com a cultura e valores da sociedade e com a sua parceira em Angola, a FBL Advogados, sociedade de tier 1 e com uma equipa de sócios e profissionais de excelência pelos quais tenho enorme admiração. Estou certo de que seremos capazes de grandes feitos em conjunto” assegura.

Inscrito nas Ordens de Advogados de Angola, Portugal e candidato à Ordem de Advogados do Estado de Nova Iorque, João Bravo da Costa tem um Master of Law pela New York Fordham University em Banking Corporate and Finance Law e uma pós-graduação em Gestão e Direito das Empresas pela Universidade Nova de Lisboa. Nos últimos anos tem sido orador convidado em várias conferências e seminários.

Ler mais
Recomendadas

“Falar Direito”. “Vistos Gold vieram para ficar e Portugal tem uma posição simpática a nível mundial”

“Na minha opinião, os Vistos Gold vieram para ficar. Acho que Portugal tem uma posição muito simpática a nível mundial. O nosso passaporte, que também alicia muitos investidores a optarem por Portugal, alicia muitos a investir via Portugal”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

“Falar Direito”. “Investimento estrangeiro? Lisboa e Porto estão na pole position”

“Lisboa e Portugal no geral têm-se vindo a colocar numa pole position em termos de investimento estrangeiro nomeadamente ao nível dos Vistos Gold. O Porto também tem vindo a ganhar muito com esta política”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

Regime dos vistos gold vai mudar em janeiro de 2022. Quais as implicações para os investidores? Veja o “Falar Direito”

Acompanhe o “Falar Direito” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Comentários