AC Milan cada vez mais longe da antiga glória. Finanças do clube estão cada vez piores

O insucesso desportivo tem sido apontado como a principal e, natural, razão para a crise financeira que se instalou no clube. Os investimentos feitos nas últimas cinco épocas, tinham como principal objetivo resgatar o clube e trazer de volta a San Siro os dias de glória. O resultado não foi o esperado.

O clube da cidade de Milão foi durante muito tempo considerado como um dos melhores clubes do mundo, mas na última década tem tido muitas dificuldades em sair do meio tabela da primeira liga italiana e as consequências têm sido devastadoras. O clube milanês registou perdas de 146 milhões de euros, mais 16% quando comparado ao mesmo período do ano passado, segundo a agência Reuters.

O insucesso desportivo tem sido apontado como a principal e, natural, razão para a crise financeira que se instalou no clube. Os investimentos feitos nas últimas cinco épocas, tinham como principal objetivo resgatar o clube e trazer de volta a San Siro os dias de glória. O resultado não foi o esperado, com os custos do clube a atingirem a marca dos 300 milhões, a bola de neve continua a rolar e não parece ter uma solução à vista, na semana passada o clube despediu o treinador Marco Giampaolo, substituindo-o por Stefano Pioli, que se apressou a dizer que não seria fácil recuperar o AC Milan.

O clube foi comprado em 2017 ao antigo primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, numa altura em que o clube já atravessava dificuldades ao nível dos resultados desportivos, e já se antecipavam problemas financeiros. O comprador, Li Yonghong, empresário chinês, assumiu o clube, e em apenas dois anos voltou a vendê-lo, após ter falhado o pagamento de um empréstimo.

O fundo de investimento, ‘Elliott Management’ assumiu as rédeas do clube, que o ano passado recebeu uma injeção de capital a rondar os 250 milhões de euros, através de um fundo de origem luxemburguesa, segundo a Reuters.

Com o céu muito cinzento a pairar sobre San Siro, podemos estar perante uma das mais dramáticas quedas de um gigante de futebol europeu desde a viragem do século.

Recomendadas

Fórmula 1 quer corridas com zero emissões poluentes até 2030

O plano da Federação Internacional Automóvel (FIA) passa por duas fases distintas: a primeira até 2025, onde a entidade quer que as corridas se tornem mais sustentáveis e depois até 2030 a neutralidade total ao nível do carbono.

Louis Saha: “Premier League pode perder talento para Espanha e Itália por causa do Brexit”

O antigo avançado do Manchester United olha com pessimismo para a saída do Reino Unido da União Europeia e tem dificuldade em aceitar que este processo não vá causar mossa à melhor liga de futebol do mundo.

Adidas vai fechar duas fábricas operadas por robôs em 2020

Anunciadas para aproximar os produtos aos mercados principais da marca, as fábricas da Alemanha e dos Estados Unidos, vão fechar após quatro anos de funcionamento. A Reuters aponta que o encerramento poderá dever-se aos custos terem superado o previsto.
Comentários