Açores em números: Economia regional representa 2% do PIB de Portugal

Uma casa neste arquipélago vale menos 146 euros por metro quadrado do que a média nacional. Só o município de Ponta Delgada tem poder de compra per capita superior à média do país. Estes e outros indicadores estatísticos neste retrato da região autónoma.

A economia da Região Autónoma dos Açores (RAA) vale 4,3 mil milhões de euros e representa, desde 2009, cerca de 2% do produto interno bruto (PIB) de Portugal, segundo o retrato do arquipélago elaborado pela Pordata, com base em informação estatística de várias fontes oficiais.

Mais de uma em cada quatro empresas açorianas pertencem ao setor primário (agricultura, produção animal, caça, florestas e pescas), sendo que a grande maioria (73%) do investimento na agricultura é centralizado na aquisição de animais: são cerca de 48 milhões de euros que não deixam tornar obsoleta a caracterização de ilha das ‘vacas felizes’. Ainda assim, é o setor terciário (serviços) aquele que mais emprega.

“Os Açores têm mais de 28 mil empresas não financeiras (representando 2,2% do total das empresas do país) e quase metade está na Ilha de São Miguel (48%). Nos Açores, oito em cada dez empresas são de empresários em nome individual ou trabalhadores independentes”, pode ler-se no documento divulgado esta sexta-feira pelo portal da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Em relação ao imobiliário, uma casa neste arquipélago de nove ilhas vale menos 146 euros por metro quadrado do que a média nacional, ou seja 1.046 euros, segundo os dados do INE destacados pela Pordata.

Porém, há notícias menos boas: a RAA, onde o turismo é rei, tem cerca de 243 mil habitantes, representando 2,4% da população residente em Portugal, mas tem estado a perder residentes desde 2014, o que explica a crescente implementação de políticas de incentivo às empresas e captação e talentos para a região. A nível político, sobressai pela negativa o facto de três em cada cinco açorianos ter abstido nas eleições regionais de 2016.

De assinalar ainda que 15 das 19 câmaras municipais da RAA apresentaram saldo financeiro positivo em 2018, destoando apenas os concelhos de Ponta Delgada, Corvo, Ribeira Grande e São Roque do Pico. A dívida total das autarquias açorianas representa 3,4% da dívida total do país – i.e. empréstimos, contractos de locação financeira e quaisquer outras formas de endividamento, por iniciativa dos municípios.

Fonte: INE/Pordata

Ler mais

Recomendadas

Edmundo Martinho vai liderar comissão para elaborar Estratégia Nacional de Combate à Pobreza

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e mais seis individualidades entre as quais Carlos Farinha Rodrigues, especialista em pobreza e desigualdades, integram a recém-criada comissão que irá elaborar a Estratégia Nacional de Combate à Pobreza que será apresentada pelo Governo até 15 de dezembro. Despacho que cria nova comissão foi hoje publicado em Diário da República e sinaliza que medidas terão em conta a “degradação” das condições materiais de muitos portugueses devido à pandemia.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.
Vasco Cordeiro com Carlos César

Vasco Cordeiro diz que o PS teve “vitória clara e inequívoca” nos Açores

Líder do PS-Açores, que procura o terceiro mandato enquanto presidente do governo regional, defendeu que as eleições deste domingo “não foram um plebiscito ao governo regional”. E recusou-se a comentar paralelismos com o que aconteceu em 2015, quando a coligação liderada por Passos Coelho foi a mais votada, mas o seu governo acabou por ser derrubado na Assembleia da República.
Comentários