AEP insiste na internacionalização em três frentes simultâneas

Dubai, México e Senegal são as geografias onde, esta semana, A Associação Empresarial de Portugal leva empresas interessadas em aumentar a sua exposição aos novos mercados.

Cerca de 35 empresas portuguesas irão integrar ações lideradas pela Área Internacional da AEP em três Continentes: Médio Oriente, América do Sul e África. A aposta da AEP nestes mercados prende-se sobretudo com o reconhecimento de que são mercados em crescimento, para os quais Portugal já exporta e apresenta balanças comerciais fortemente positivas.

A primeira ação internacional acontece entre 16 e 20 de fevereiro, no Dubai, naquela que é considerada uma das maiores feiras do setor da Alimentação e Bebidas do Mundo – A GULFOOD 2020. Acompanham esta iniciativa 25 empresas portuguesas ligadas aos setores da fabricação de bolachas, águas minerais, arroz, chocolate e produtos de confeitaria, azeite, óleos e gorduras alimentares, café, chá, leite e derivados, massas alimentícias, sumos de fruta e conservas, entre outros.

Esta é a 13ª participação da AEP na GULFOOD, que reúne mais de 5 mil expositores de 185 países e é visitada anualmente por cerca de 100 mil profissionais.

De acordo com o INE, em 2018 Portugal exportou cerca de 142,6 milhões de euros para os EAU, dos quais apenas 6,2 milhões são do setor alimentar.  Os EAU ocupam a 40ª posição nas exportações portuguesas e o coeficiente de cobertura da balança comercial ronda os 311%.

Entre 17 e 21 de fevereiro representantes de cinco empresas dos setores têxtil, saúde, vinhos, motores, geradores e transformadores elétricos participam numa missão empresarial marcada por visitas de inspeção e reuniões B2B, na Guatemala e na cidade do México. Esta ação multifileiras, será a 16ª no México e a primeira na Guatemala. As exportações portuguesas para o México têm crescido a um ritmo médio de 4% ao ano cifrando-se atualmente em 320,5 milhões de euros.

Também neste caso a balança comercial é fortemente positiva tendo atingido em 2018 um coeficiente de cobertura na ordem dos 197,9%. A Guatemala é um país onde Portugal está ainda a dar os primeiros passos em termos de exportação, mas tem tido crescimentos do PIB muito significativos, posicionando-se assim com forte potencial para a procura de bens e serviços no mercado internacional.

Ainda entre 18 e 21 de fevereiro cinco empresas portuguesas do setor da construção e fileira casa deslocam-se ao Senegal para participarem na feira SENCON 2020. Esta ação, realizada em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Senegal e Africa Ocidental e com o Grupo Senegal Business Cluster, é realizada pelo 5ª ano consecutivo e aposta sobretudo no reforço da presença portuguesa em África, no setor da construção. Em 2018 Portugal exportou cerca de 50 milhões de euros para o Senegal e importou 21,1 milhões de euros. Também neste caso o saldo da balança comercial é positivo, com um coeficiente de cobertura na ordem dos 217,5%.

Em 2020, o calendário de ações da AEP de apoio à internacionalização prevê a presença das empresas portuguesas em mais de 30 mercados e em mais de 30 ações (entre feiras, missões e missões inversas).

Ler mais
Recomendadas

Haitong Bank antecipa pagamento a fornecedores portugueses e oferece viseiras

O banco de investimento decidiu pagar a pronto as faturas aos fornecedores em Portugal e oferecer material de proteção individual à maternidade Alfredo da Costa.

Produção industrial em Itália cai 2,4% em fevereiro

Em termos homólogos, a produção industrial subiu em bens de capital (1,4%) e baixou a de bens de consumo (3%), a de bens intermédios (2,3%) e a de energia (0,6%).

Mais de 10 mil pessoas protegidas pelo seguro Covid-19 da Tranquilidade/Generali

O produto destina-se a empresas que pretendem proteger os trabalhadores, sobretudo as que continuam em atividade nos seus edifícios e o risco de infeção é superior. Lançado há 10 dias, foi desenvolvido em parceria com a AdvanceCare e garante um subsídio diário de 100 euros por cada dia de hospitalização por esta doença.
Comentários