Aeroportos da Madeira implementam plataforma que monitoriza cumprimento das normas da DGS

O sistema estará disponível nas áreas de Check-in, nas áreas de Controlo Segurança, Controlo de Passaportes (SEF), Food Court, Salas de Recolha da Bagagem e a Hall de Chegadas.

A plataforma digital Go Fight COVID-19 está disponível nos Aeroportos da Madeira. Esta ferramenta visa assegurar estão a ser cumpridos todos os procedimentos sanitários e de segurança exigidos pela Direção Geral da Saúde.

O Aeroporto da Madeira terá 25 QR Codes, e o Aeroporto do Porto Santo terá seis QR Codes. “O sistema está assim disponível nas áreas de Check-in, nas áreas de Controlo Segurança, Controlo de Passaportes (SEF), Food Court, Salas de Recolha da Bagagem e a Hall de Chegadas”, explica a empresa responsável pela plataforma.

O feedback é recolhido online através da resposta a questões ligadas a processos sanitários e de segurança.

Após a recolha e processamento feito em tempo real, A ANA vai dispor de dashboards para análise e monitorização.

 

Recomendadas

Deco mostra dúvidas sobre preços praticados nas teleconsultas

Relativamente às consultas do setor privado, a DECO tem registado algumas dúvidas sobre os preços praticados. A principal relaciona-se com a justiça de uma consulta por videochamada apresentar o mesmo custo económico para o utente. Essa é uma questão que deve ser respondida com urgência.

Madeira: eurodeputada do PS quer abordagem transversal na saúde

A eurodeputada Sara Cerdas defendeu que a ausência de políticas para a saúde e bem-estar tem gerado “graves consequências” para todos os cidadãos e para os sistemas de saúde dos Estados Membros, e pediu “uma maior aposta” na saúde em todas as políticas, que inclua uma visão mais abrangente dos desafios, não só os relacionados com a pandemia, mas que seja transversal a outros setores.

JPP quer trabalhadores da economia informal incluídos nos apoios do Fundo de Emergência Social

O partido diz que no casos dos trabalhadores que não se encontravam enquadrados nos sistema de Segurança Social, estes foram “duplamente penalizados” porque não têm forma de provar perda de rendimentos devido à pandemia, pelo que não elegíeis para vários tipos de apoios, entre os quais o Fundo de Emergência Social.
Comentários