“Reuters”: EUA realizaram ataque aéreo em Cabul

Os primeiros relatos, ainda não confirmados, apontam para um míssil que caiu numa casa, não muito longe do aeroporto, adianta a agência “Reuters”.

Omar Sobhani / Reuters

Uma explosão foi ouvida hoje à tarde em Cabul, segundo jornalistas da agência de notícias AFP, três dias depois de um ataque no aeroporto da capital afegã, onde vários países estão a concluir as suas operações de retirada. Pelo menos cinco pessoas, três delas crianças, segundo relatos de fontes oficiais consultados pela imprensa internacional.

A explosão foi causada por um míssil que atingiu uma casa no 15º distrito da capital”, disse Qari Rashed, um agente da polícia da capital afegã citado pela agência Efe.

Após este ataque no aeroporto de Cabul, reivindicado pelo Estado Islâmico de Khorasan (ISKP, na sigla em inglês), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que planeia retirar as suas tropas do país em 31 de agosto, alertou que um novo ataque iminente era “muito provável”.

Até agora, “cinco civis, incluindo três crianças, morreram no incidente”, disse também à agência de notícias espanhola um médico do hospital Khairkhana em Cabul, para onde as vítimas foram transferidas, e que pediu anonimato.

De acordo com o canal de notícias afegão Tolo, a explosão ocorreu aproximadamente às 17:30 (11:00 em Lisboa) em Khajeh Baghra, uma área residencial na periferia do aeroporto internacional de Cabul.

em atualização

Recomendadas

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.

PremiumJosé Maria Neves tenta vitória nas presidenciais de Cabo Verde sem precisar de segunda volta

As eleições presidenciais em Cabo Verde realizam-se no próximo domingo, 17 de outubro, e sem contar com Jorge Carlos Fonseca, que termina o segundo e último mandato como Presidente da República. Num período de mudança, portanto, as sondagens indicam invariavelmente a vitória de José Maria Neves (primeiro-ministro de 2001 a 2016) com uma margem confortável sobre Carlos Veiga (primeiro-ministro de 1991 a 2001).

ONG acusa G20 de “estar a dormir” sobre a dívida pública

“O G20 está a dormir relativamente à questão da crise da dívida, que se intensifica nos países de baixo rendimento”, disse o diretor de Políticas da ONG dedicada à sustentabilidade da dívida pública.
Comentários