Agência do Ambiente deverá dar hoje ‘luz verde’ ao aeroporto do Montijo

O Governo tem estado a apostar as fichas todas na viabilização ambiental deste projeto, mas não se sabe qual será o impacto das queixas já apresentadas na justiça portuguesa e comunitária para impedir o avanço deste empreendimento.

Cristina Bernardo

A Agência Portuguesa do Ambiente, presidida por Nuno Lacasta, deverá emitir hoje, dia 21 de janeiro uma DIA – Declaração de Impacto ambiental definitiva favorável à construção do novo aeroporto da região de Lisboa no estuário do Tejo, no Montijo.

Nos últimos dias, o Governo de António Costa tem estado a apostar as fichas todas na viabilização da construção do novo aeroporto complementar de Lisboa no Montijo.

Sendo hoje o ‘dia D’ sobre esta matéria, como lhe chamou na passada sexta-feira, dia 17 de janeiro, Alberto Souto de Miranda, secretário de Estado das Comunicações, e confirmando-se uma ‘luz verde’ ao projeto apresentado pela concessionária dos aeroportos portugueses, a ANA, detida pelo grupo francês Vinci, ficam ainda algumas dúvidas para esclarecer.

Em primeiro lugar, quais serão as medidas mitigadoras, remédios, que a APA vai exigir à ANA, sabendo-se que a decisão provisória conhecida há umas semanas, sofreu a contestação da gestora aeroportuária.

Depois, o que irá resultar de diversas queixas e outras manobras jurídicas, já entregues ou em preparação, para a justiça nacional e comunitária, para impedirem o avanço deste projeto.

Por fim, que exigências suplementares o Governo irá apresentar à ANA em investimento nas acessibilidades ao futuro aeroporto do Montijo, uma questão assumida pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, en entrevista ao semanário ‘Expresso’ no passado dia 18 de janeiro.

Tirando estes três ‘pormenores’, tanto Pedro Nuno Santos, como o secretário de Estado das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, dão praticamente como certa a viabilização do projeto por parte da APA – Agência Portuguesa do Ambiente.

“A decisão está iminente. A partir daí, terá de haver um projeto de resolução [do Conselho de Ministros]. Penso que as obras poderão começar este ano. Há boas condições para as obras começarem este ano”, defendeu hoje, Alberto Souto Miranda, em declarações aos jornalistas durante uma visita à NAV, a propósito do 20º aniversário da empresa responsável pela gestão do tráfego aéreo em Portugal.

“Temos a expetativa de que com o aumento da capacidade aeroportuária, com a abertura do aeroporto do Montijo, esta pressão que agora existe deixará de acontecer e que as regras [sobre a proibição de voos noturnos] sejam respeitadas. Espero que a abertura do Montijo permita libertar a pressão sobre o aeroporto Humberto Delgado. O que não corresponder ao que está previsto na lei, a ANAC (entidade reguladora do setor da aviação] terá que estar atenta.

A presunção do secretário de Estado das Comunicações de que a APA vai conferir um ‘OK’ ao projeto do novo aeroporto no Montijo, é extensível ao ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos.

No início da semana passada, durante uma audição parlamentar sobre a discussão na especialidade do Orçamento de Estado para 2020, o governante assumiu que “Beja e Alverca não são alternativas [ao aeroporto no Montijo], estão mais que estudadas”.

“Queremos avançar, porque não queremos que o país perca mais tempo, mais receitas e mais turistas”, garantiu Pedro Nuno Santos.

Sobre a decisão favorável da APA – Agência Portuguesa do ambiente ao EIA – Estudo de Impacto Ambiental apresentado para o projeto de aeroporto no Montijo pela concessionária ANA, detida pelo grupo francês Vinci, o ministro considerou que “é bom que seja respeitada”.

“O aeroporto [no Montijo] vai ser uma realidade. Está-se a descurar o impacto positivo que o aeroporto terá para a espécie humana, em criação de emprego e no crescimento da economia, com particular impacto na margem sul. Temos uma APA que tomou uma decisão. se tivesse sido contrária [ao aeroporto no Montijo] ficava triste, consideraria que era mau para o país, mas respeitaria. Os técnicos da AP não são comissários de nenhum partido, do Governo. Temos de respeitar as suas decisões, não só quando gostamos dessas decisões”, salientou o ministro das Infraestruturas.

Recorde-se que a APA já emitiu um parecer preliminar favorável ao projeto do aeroporto do Montijo, exigindo investimentos suplementares à ANA, uma questão que já foi respondida pela concessionária no final do ano passado, esperando-se que a decisão final seja emitida na próxima terça-feira.

Ler mais

Recomendadas

PremiumOrçamento de longo prazo da União Europeia continua num impasse

Líderes europeus discutem em Bruxelas a dotação de verbas do próximo quadro plurianual, mas ‘Amigos da Coesão’ e ‘contribuintes líquidos’ só concordam em discordar da proposta apresentada por Charles Michel.

Covid-19: Economia da China poderá retomar normalidade no segundo trimestre, diz diretora do FMI

Segundo a diretora-geral do FMI, em janeiro foi projetado “um crescimento global de 2,9%, no ano passado, para 3,3% neste ano. Desde então, o Covid-19 – uma emergência de saúde global – interrompeu as atividades [económicas] na China”.

ISV: Fisco ‘perde’ recurso por ausência de respostas ao Constitucional

Na origem deste recurso esteve um processo, que correu no Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), movido por um contribuinte que reclamava da forma como foi aplicado o Imposto Sobre Veículos (ISV) num carro usado importado de outro país da União Europeia.
Comentários