Agência europeia da aviação dá ‘luz verde’ ao regresso do Boeing 737 MAX

A Agência Europeia para Segurança da Aviação (EASA) aprovou esta quarta-feira o regresso da aeronave Boeing 737 MAX aos céus da União Europeia (UE), que esteve proibida devido a graves acidentes, desde que cumpridos requisitos técnicos e de pilotagem.

Justin Lane / EPA

“A EASA deu o seu selo de aprovação para o regresso ao serviço de uma versão modificada do Boeing 737 MAX, impondo um pacote de atualizações de ‘software’, trabalho elétrico, verificações de manutenção, atualizações do manual de operações e formação da tripulação, permitindo à aeronave voar em segurança nos céus europeus após quase dois anos em terra”, informa a agência em comunicado de imprensa.

Depois de, em meados de novembro de 2020, os Estados Unidos terem dado ‘luz verde’ ao regresso da aeronave, que esteve fora do mercado devido a dois acidentes que mataram 346 pessoas em seis meses, é agora a vez de a UE o autorizar, estipulando condições para tal.

Em concreto, e como as investigações da EASA mostram que a principal causa dos acidentes foi relativa a um ‘software’ que se destinava a tornar a aeronave mais fácil de manusear, a agência europeia exige que este programa operacional seja revisto e que passem a ser emitidos alertas em caso de mau funcionamento, para evitar uma “total perda de controlo da aeronave”.

A agência conclui também que muitos pilotos não sabiam trabalhar com este ‘software’, pelo que passou a exigir formação obrigatória para todos os pilotos do 737 MAX, bem como atualizações nos manuais de voos.

A EASA obriga, ainda, a testes dos sistemas e a um primeiro voo de teste sem passageiros antes da utilização comercial de cada aeronave desta gama.

Para chegar a estas conclusões, a EASA teve 20 peritos envolvidos numa investigação à aeronave que durou 20 meses.

Citado pelo comunicado, o diretor executivo da EASA, Patrick Ky, sublinha que “a aeronave é segura”, tendo sido esta uma “condição prévia” para a autorização.

Ainda assim, “continuaremos a acompanhar de perto as operações do 737 MAX à medida que a aeronave retomar o serviço e, em paralelo, por nossa insistência, a Boeing também se comprometeu a trabalhar para melhorar ainda mais a aeronave a médio prazo a fim de alcançar um nível de segurança ainda mais elevado”, adianta Patrick Ky.

Tal como a EASA, a administração federal de aviação dos Estados Unidos exigiu algumas modificações nos aviões antes de estes poderem voltar operar, bem como formação necessária para pilotos e trabalhos de manutenção e de verificação nos aparelhos.

O Boeing 737 MAX fará o seu regresso num setor duramente atingido pela pandemia de Covid-19.

Ler mais
Relacionadas

Boeing paga dois mil milhões de euros de indemnização no processo do 737 Max

O Departamento de Justiça informou hoje que a Boeing aceitou o acordo que inclui o pagamento de indemnizações às famílias das vítimas do acidente, clientes da companhia aérea e companhias aéreas, assim como de uma multa.

American Airlines retoma voos comerciais com o Boeing 737 Max

Depois dos dois acidentes que vitimaram 346 pessoas em cinco meses, a aeronave em questão teve de passar 20 meses em terra, de forma a corrigir as falhas que levaram a estas tragédias. Esta terça-feira, a American Airlines retoma os voos comerciais com o 737 Max em território norte-americano.

Agência europeia de aviação prepara-se para autorizar regresso do Boeing 737 MAX

Depois de, em meados de novembro, os Estados Unidos terem dado ‘luz verde’ ao regresso da aeronave, que esteve fora do mercado devido a dois acidentes que mataram 346 meses em cinco meses, é agora a vez de a UE divulgar, através da sua agência, as condições para aprovação.
Recomendadas
catarina_martins_oe_2020

Covid-19: Catarina Martins faz um apelo a Costa para que estenda já as moratórias

“Deixo aqui hoje este apelo a António Costa: não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências. As moratórias têm de ser estendidas já”, num comício maioritariamente virtual que assinalou o encerramento da conferência autárquica online e os 22 anos do BE, que comemora no domingo a sua fundação.

TAP. Ratificação dos acordos com pilotos e tripulantes era “passo crucial”, diz o Governo

“Porque estes acordos representam um compromisso muito firme de todos com o futuro da companhia, dão ainda mais credibilidade ao plano de reestruturação que o Estado português continuará a negociar com a Comissão Europeia ao longo das próximas semanas”, sublinhou o Ministério das Infraestruras e da Habitação.

Serviços postais caem 12,4% mas tráfego de encomendas dispara 20% em 2020

Tráfego total dos serviços postais caiu 12,4% em 2020, uma quebra que “está associada aos efeitos da pandemia da Covid-19” e que foi “mais expressiva” do que o recuo verificado em 2019 (-6,7%). A pandemia terá tido “um impacto direto, negativo, de 9,8% no tráfego postal total”.
Comentários