Águas de Portugal apresenta programa para alcançar neutralidade energética em dez anos

Este programa visa reforçar as ações de redução de consumos energéticos e o aumento da produção própria de energia 100% renovável, permitindo que o grupo atinga a neutralidade energética no prazo de dez anos.

O Grupo Águas de Portugal (AdP) vai apresentar hoje, dia 29 de julho, pelas 15 horas, o seu ‘Programa de Neutralidade Energética’, que visa reforçar as ações de redução de consumos energéticos e o aumento da produção própria de energia 100% renovável, permitindo que o grupo atinga a neutralidade energética no prazo de dez anos.

O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, o secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, e a Secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, irão participar na sessão de apresentação deste programa.

Segundo um comunicado da empresa pública, este programa “fará da Águas de Portugal o primeiro grupo do setor da água de dimensão internacional a implementar a neutralidade energética em todas as suas atividades nacionais e internacionais”.

“O ‘Programa de Neutralidade Energética ZERO’ envolve todas as empresas do Grupo AdP e integra medidas inovadoras de eficiência e de reengenharia de sistemas, conjugadas com a instalação de sistemas para produção articulada de energia de fontes renováveis, com base solar, hídrica, biogás e eólica”, destaca o referido comunicado.

A apresentação pública deste programa ocorrerá na sede do Grupo AdP, em Lisboa, e contará ainda com as presenças do presidente do Grupo AdP, José Furtado; e do vice-presidente, José Sardinha.

Recomendadas

Coca Cola aposta no plástico reciclado para as suas embalagens PET

A CuRe tem o potencial de apoiar a Coca-Cola na Europa Ocidental no seu objetivo de eliminar o PET virgem de origem fóssil das suas embalagens durante a próxima década, o que ajudará a eliminar a utilização de mais de 200 mil toneladas de PET virgem por ano.

Portugal Space abre candidaturas para programa de deteção de plástico nos oceanos

As inscrições decorrem até outubro e a melhor proposta de investigação recebe até 500 mil euros. O concurso está aberto a entidades nacionais e internacionais, estando estas últimas obrigadas a trabalhar em estreita cooperação com as instituições portuguesas, que deverão ser líderes de projecto ou, em alternativa, estabelecendo atividade em Portugal.

Repsol produz pela primeira vez biocombustível para aviões

A petrolífera espanhola também desenvolverá alternativas que permitirão obter combustível para aeronaves a partir de resíduos, avançando no compromisso de ser uma empresa com zero emissões líquidas de CO2 em 2050.
Comentários