Albuquerque & Almeida assessorou reestruturação Grupo Bondalti

Históricos da advocacia e da indústria química aliaram-se no processo de reestruturação e financiamento do Grupo Bondalti.

A sociedade de advogados Albuquerque & Almeida assessorou a reestruturação do Grupo Bondalti, a antiga Grupo CUF Químicos Industriais, sucessor do Grupo CUF.

A reestruturação do Grupo Bondalti consistiu numa operação de refinanciamento e reorganização financeira, que envolveu um montante de 210 milhões de euros e durou cerca de dois meses.

Nos termos do financiamento do Grupo Bondalti, a Albuquerque & Associados referiu, em comunicado, que “foi celevrado um contrato de financiamento com um sindicato bancário composto por oito bancos, nacionais e internacionais”.

Além disso, “procederam-se a diversas operações de natureza societária, nomeadamente aquisição e fusão de sociedades”, lê-se na nota.

Segundo a sua página oficial da internet, a história do Grupo Bondalti remonta a 1898, ano em que Alfredo da Silva, acionista da Companhia Aliança Fabril, fez a fusão desta empresa com a CUF e avançou para produção de adubos em grande escala.

Em maio do ano passado, a CUF alterou por um processo de alteração de identidade corporativa, “assumindo uma nova marca, denominada Bondalti”.

“O reposicionamento estratégico do negócio permitiu reforçar o estatuto de principal produtor europeu não integrado de anilina e nitrobenzeno e traduziu-se, também, na aquisição de uma unidade fabril na região espanhola da Cantábria, que criou as condições para uma posição de liderança ibérica no mercado do cloro”.

A origem da Albuquerque & Almeida remonta a 1922, mas resulta da associação recente das sociedades Albuquerque & Associados e Paulo de Almeida & Associados, executada em 2018.

 

Ler mais
Relacionadas

Abreu Advogados integra Pedro Barosa em Penal

O advogado esteve 14 anos na PLMJ e passou este mês a ser sócio contratado da firma liderada por Duarte d’Athayde.

Fusões e aquisições de empresas crescem 20% em Portugal no primeiro semestre

O mercado transacional português movimentou 4,7 mil milhões de euros nos primeiros seis meses de 2019, mais 20% do que no mesmo período do ano passado.
Recomendadas

Tecnologia e ‘know how’ são decisivos para os escritórios de advogados nacionais

As sociedades de média e grande dimensão têm apostado na integração de pequenas firmas que trazem know how em áreas chave. E ninguém fica indiferente ao desafio das novas tecnologias.

Um novo paradigma: jurista global e digital

Não menos importante do que preparar os novos juristas para trabalhar num mundo global, é desenvolver neles um forte sentido crítico e a consciência de que o Estado de Direito democrático não é um dado adquirido.

PLMJ recebe evento da Startupbootcamp

Esta terça-feira, 15 a 20 startups realizam diversos pitches nesta sociedade de advogados.
Comentários