Alexandre Fonseca: Venda de 49,99% da fibra ótica à Morgan Stanley demonstra “capacidade da Altice em atrair investimento internacional”

O presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, afirmou hoje que a venda de 49,99% da da rede de fibra ótica à Morgan Stanley Infraestructures Partners demonstra a capacidade “em atrair investimento internacional”.

Presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca | Foto cedida

O grupo Altice anunciou hoje que chegou a acordo com a Morgan Stanley para a venda de quase metade da rede de fibra ótica em Portugal, numa operação que permite um encaixe de 1,565 mil milhões de euros e que deverá estar concluída no primeiro semestre de 2020.

“Estas são boas notícias para Portugal. Este é um marco que vem demonstrar o potencial do país, assim como o compromisso e a capacidade da Altice em atrair investimento internacional, fundamental para a nossa liderança económica-financeira e tecnológica e também para a de Portugal”, afirmou Alexandre Fonseca, numa mensagem aos colaboradores à qual a Lusa teve acesso.

“A Altice Portugal tem contribuído de forma ativa para o aumento da atratividade do país graças a grandes ativos como as torres de telecomunicações e, neste momento, com a sua fibra ótica” acrescentou o gestor.

Alexandre Fonseca salientou que, “com este negócio, a Altice Portugal não abdica do controlo do negócio desta infraestrutura e da sua posição dominante (mais de 50%)”.

Com esta operação, “a Altice Portugal deu início ao processo de venda de fibra ótica que visava, essencialmente, expandir a sua capacidade de engenharia, inovação e operação para além fronteiras. Este processo ficou agora encerrado com a venda deste importante ativo à Morgan Stanley Infraestructures Partners, numa clara aposta no mercado das telecomunicações e na economia nacional”, refere.

“Ao longo dos últimos meses, múltiplos operadores manifestaram interesse em utilizar as nossas infraestruturas em Portugal, num fulcral e positivo sinal quanto à importância e atratividade do mercado nacional”, acrescenta, na mensagem enviada aos colaboradores.

“O interesse manifestado pela fibra ótica da Altice Portugal veio refletir o reconhecimento da estratégia do grupo, o valor intrínseco e o prestígio do património e dos investimentos que a empresa tem realizado no país”, disse.

“A infraestruturação do país em fibra ótica é um dos nossos eixos estratégicos para Portugal pelo que manteremos a nossa posição, de forma continuada, de sermos os maiores investidores em Portugal e o objetivo de alcançar as 5,3 milhões de casas com fibra ótica, que vão tornar Portugal o primeiro país da Europa com cobertura praticamente integral de fibra”, concluiu.

Ler mais
Relacionadas

Altice Europa dispara mais de 4,5% na bolsa de Amesterdão após venda da rede de fibra ótica à Morgan Stanley

A operação avalia o negócio da fibra ótica da Altice FTTH, empresa criada pela dona da Meo para gerir a rede de fibra ótica, em 4,63 mil milhões de euros. A operação deverá ficar concluída nos primeiro seis meses de 2020.Esta operação avalia o negócio da fibra ótica, a Altice FTTH, em 4,63 mil milhões de euros

Altice chega a acordo com a Morgan Stanley para vender 49,9% da fibra ótica em Portugal

A Altice Europe espera encaixar 1,57 mil milhões de euros em 2020 com este negócio. Se forem cumpridos objetivos, o negócio pode atingir os 2.320 milhões de euros. Conforme revelou o JE, o Morgan Stanley também estava na corrida à fibra ótica da Meo.

PremiumMorgan Stanley concorre com Cellnex e Omers na compra da rede da Altice

A venda da rede de fibra óptica da Altice está em fase avançada e os dois candidatos mais bem posicionados serão o fundo de infraestruturas da Morgan Stanley de um lado e o consórcio Cellnex com o Omers Infrastructure Fund.
Recomendadas

Ensaios iniciais da Johnson & Johnson mostram resposta imune em 98% dos participantes

O fármaco, disponível no formato de uma ou duas tomas, já avançou esta semana para a fase 3 dos ensaios clínicos, pelo que os especialistas avisam que estes resultados preliminares ainda são de interpretação limitada.

Montepio entrega plano de transformação aos trabalhadores dia 6. Previstas entre 600 a 900 saídas

Plano de transformação do Banco Montepio entregue aos trabalhadores dia 6 outubro e prevê a saída de, pelo menos, 600 pessoas, e um máximo de 900, através de reformas antecipadas e rescisões por mútuo acordo. Já estão identificados 37 balcões para encerrar, estando mais cerca de 40 em equação.

Regulador europeu pede fim da suspensão do Boeing 737 Max

“Pela primeira vez em ano e meio, posso dizer que o trabalho com o 737 Max está quase a terminar”, apontou Patrick Ky, diretor executivo da Agência de Segurança de Aviação da União Europeia (EASA, sigla inglesa).
Comentários