Alimentar pombos é proíbido e pode dar multa. Sabia?

Além das coimas esta ação pode trazer alguns riscos para a sua saúde. Lisboa, Porto, Braga, Cascais e Sintra, são algumas localidades que proíbem a população de alimentar estas aves.

Certamente já ouviu a expressão “vá dar milho aos pombos”. Pois bem, esta prática segundo a DECO pode levar a uma multa, principalmente se viver em Lisboa, Porto, Cascais, Braga e Sintra. Estas são cinco de várias regiões onde é proíbido a alimentação das aves por parte da população.

Por exemplo, na capital portuguesa o valor das coimas pode variar entre os 26 e os 106 euros, ou seja o equivalente a um quinto do salário mínimo nacional.

Mas qual é a justificação? Segundo a DECO, o fornecimento de alimentos que não os da dieta tradicional, e em grande quantidade, pode levar a uma reprodução descontrolada dos pombos e favorecer a convivência entre espécimes saudáveis e doentes, o que vai enfraquecer a espécie.

A situação contribui também para a multiplicação dos dejetos destes animais, que estão na origem da maior parte dos problemas a eles associados. A par do mau aspeto que dão a estátuas e edifícios, as fezes do animal têm efeito corrosivo sobre bronzes e cantarias. Outro risco potencial é o de inundações, provocadas pelo entupimento de sarjetas e algerozes com restos de ninhos, dejetos e animais mortos.

Mas é ao nível da saúde que a questão levanta mais problemas. Um dos principais riscos, de acordo com a DECO, é o perigo de transmissão de doenças, como a criptococose e a histoplasmose (provocadas por um fungo que se desenvolve nas fezes dos pombos e podem causar infeções e problemas respiratórios). Em ambas, o risco de contágio é maior nas camadas mais vulneráveis da população: crianças, idosos e pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos, como os doentes de cancro ou VIH/SIDA.

Em Lisboa, os pombos são alimentados diariamente com milho ao qual é acrescentado um contracetivo oral em algumas alturas do ano. Este contracetivo não prejudica as aves e serve apenas para reduzir o número de ovos que põem, mas só é eficaz se cada pombo ingerir 30 gramas de grão por dia, o que não acontece se já tiver sido alimentado pelos transeuntes.

Ler mais
Recomendadas

Saiba como funciona o Direito Real de Habitação Duradoura

Ressalva-se que o proprietário pode livremente transmitir, de forma onerosa ou gratuita, a propriedade do imóvel objeto de um contrato de DHD, não podendo contudo hipotecar o imóvel ou constituir outras garantias sobre o mesmo.

Quanto vai custar um carrinho de compras em 2020 em Portugal? Cerca de 15% do salário mínimo

Analisando os alimentos básicos para perceber os custos, a Picodi criou um carrinho de compras com pão, leito, ovos, arroz, queijo, carne, frutas e legumes. No seu total, o valor das compras alimentares era de 87,82 euros.

15 Medidas do Orçamento do Estado 2020 que afetam as suas finanças

Ainda não foi aprovado o Orçamento do Estado 2020, mas já se conhecem algumas das medidas em discussão para serem implementadas este ano, nomeadamente no que diz respeito aos impostos e outros benefícios fiscais e contribuições.
Comentários