PremiumAltice sem Huawei no núcleo da rede 5G

Com a exclusão da Huawei do ‘core’ da rede 5G da Altice, fica confirmado que a empresa chinesa não vai ter acesso aos núcleos das futuras redes de quinta geração em Portugal. A NOS e a Vodafone também vão optar por outros fornecedores. No entanto, Altice vai continuar a usar equipamentos da Huawei na rede 5G.

Apesar de ter acordos de parceria tecnológica com a Huawei e de ter protagonizado a assinatura de um protocolo ao mais alto nível entre China e Portugal, no final de 2018, a Altice Portugal não contará com a tecnológica chinesa no core da sua rede 5G, quando esta estiver disponível para uso comercial. “Não temos a Huawei no core [da rede]”, afirmou na quinta-feira o presidente executivo da empresa, Alexandre Fonseca, à comunicação social, à margem do evento que assinalou o quarto aniversário da Altice Labs, em Aveiro. A par da revelação, o líder da dona da Meo admitiu apostar num sistema da norte-americana Cisco. No entanto, a Altice vai continuar a usar equipamentos da Huawei na rede 5G.

Com a não inclusão da Huawei do núcleo da rede 5G da Altice Portugal, apesar de contar com a empresa chinesa para testar a quinta geração da rede móvel em Lisboa (e com a Ericsson em Aveiro), fica confirmado que a empresa criada por Ren Zhengfei em 1987 está fora do core das redes 5G das principais operadoras de telecomunicações portuguesas. A NOS revelou que não usa tecnologia da marca chinesa no core da sua rede durante uma conference call, relativa aos resultados de 2019, no final de fevereiro. Quanto à Vodafone Portugal, a aposta na Ericsson é clara e, por isso, também não deverá contar com a empresa chinesa no núcleo da sua rede 5G.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PSD e PS chumbam moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações

Além de ter sido chumbada a possibilidade de criar moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações, o PCP viu PS, PSD, CDS-PP e PAN travar a proposta de implementar “medidas de salvaguarda”, o que impediria as operadoras de cortar serviços durante o Estado de Emergência.

Covid-19: Airbus anuncia redução de um terço na produção de aviões

O construtor europeu de aviões Airbus anunciou esta quarta-feira que vai fazer uma redução de um terço no ritmo de produção, adaptando as suas capacidades à evolução do mercado mundial de aeronáutica face à pandemia de covid-19.

Chineses desistem de comprar o BNI Europa

O contexto de incerteza na economia global causada pela pandemia da Covid-19 levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. Negócio estava alinhavado desde dezembro de 2017.
Comentários