Amadora-Sintra transfere mais 32 doentes e monta enfermaria no Hospital da Luz

O enfermeiro-chefe do Hospital de Amadora-Sintra garante que a rede de oxigénio está neste momento estável e anunciou, em conferência de imprensa, que serão transferidos mais 32 doentes e que uma enfermaria será completamente transferida para o Hospital da Luz.

A rede de oxigénio do Hospital Amadora-Sintra ficou estabilizada depois de na noite desta terça-feira a sobrecarga do sistema ter obrigado à transferência de 53 doentes para outras unidades de saúde da região de Lisboa.

Em conferência de imprensa, o enfermeiro-chefe Rui Santos garantiu que “não houve uma rutura, nem falha no fornecimento da rede, mas sim oscilação de pressão devido ao elevado número de doentes internados e com necessidade de oxigeno-terapia”.

Embora a rede esteja estabilizada, o hospital, que mantém 331 doentes internados, fazendo desta a unidade hospitalar da área de Lisboa e Vale do Tejo com maior número de doentes internados, deu início a “obras de reforço em uma das torres” e que estão “trabalhos em curso na outra torre do hospital para reforçar a mesma rede oxigénio”.

Aos jornalistas, o responsável adiantou que este quinta-feira o hospital terá uma nova rede de oxigénio líquido instalado e uma nova rede dedicada ao serviço de atendimento de doentes respiratórios do hospital, que, segundo o próprio, “é um dos serviços com maior consumo de oxigénio do hospital”.

Para manter a estabilização da rede, o hospital irá transferir mais 32 doentes para três hospitais até ao final do dia —  19 a sair vão ter como destino o Hospital da Luz, nove para o Hospital de reta guarda das Forças Armadas e quatro para o Hospital de campanha de Portimão.

Aos jornalistas, o porta-voz adiantou ainda uma “operação histórica” em parceria com o Hospital da Luz, na qual será montada uma enfermaria com profissionais de saúde do Hospital Amadora-Sintra naquele hospital privado. Os 19 doentes que serão transferidos serão acompanhados 10 enfermeiros, três médicos e auxiliares de saúde.

Ler mais
Relacionadas

Lacerda Sales garante que “não houve falta de oxigénio” no Amadora-Sintra e que transferência de doentes foi “preventiva”

Numa altura em que o número de internados em enfermaria e UCIs continua a aumentar, Lacerda Sales considerou que o Governo tem ” a humildade de reconhecer as dificuldades” mas ” fará sempre os esforço para que estas situações não se voltem a repetir”.

Rede de oxigénio do Amadora-Sintra estabilizada, 53 doentes transferidos

O Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) diz que se mantém a monitorização permanente do fluxo da rede de oxigénio medicinal e garante que nunca esteve em causa “a disponibilidade de oxigénio ou o colapso da rede”, explicando que os constrangimentos se prenderam com “a dificuldade existente em manter a pressão”.

Rede de oxigénio do Amadora-Sintra colapsa e obriga à transferência de 20 doentes

A falha no sistema de oxigénio, sem capacidade para mais, obrigou à transferência de 20 doentes que necessitam de assistência respiratória para o Hospital Santa Maria e para o Hospital Militar.
Recomendadas

Covid-19: PCP quer apoios a 100% para pais “imediatamante e com efeitos retroativos”

Intervindo numa sessão pública, em Lisboa, Jerónimo de Sousa lamentou que “PS, PSD e CDS-PP” tenham rejeitado na Assembleia da República a proposta do PCP que previa “o pagamento do salário a 100% a quem está em assistência a filhos até aos 16 anos, enquanto as escolas se mantiverem encerradas”, devido à pandemia de Covid-19.
catarina_martins_oe_2020

Covid-19: Catarina Martins faz um apelo a Costa para que estenda já as moratórias

“Deixo aqui hoje este apelo a António Costa: não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências. As moratórias têm de ser estendidas já”, num comício maioritariamente virtual que assinalou o encerramento da conferência autárquica online e os 22 anos do BE, que comemora no domingo a sua fundação.

Covid-19: Uma centena de manifestantes anticonfinamento em Lisboa

À Lusa, o comissário Santos, da PSP, referiu que a concentração, promovida pelo Movimento Habeas Corpus, associado aos Juristas pela Verdade, chegou a reunir “cerca de cem pessoas”, por volta das 13h00, e que há meia hora estariam ainda 35 manifestantes no local.
Comentários