Amadora volta a receber banda desenhada a todo o vapor

O Ski Skate Amadora Park, a Bedeteca da Amadora e a Galeria Municipal Artur Bual são os espaços que vão receber as apresentações e também a nova edição.

Lusa

A banda desenhada vai voltar a ocupar a Amadora. São três locais que vão receber as mais diversas personagens no evento Amadora BD, que volta a acontecer em modo presencial depois da edição online de 2020.

O Ski Skate Amadora Park, a Bedeteca da Amadora e a Galeria Municipal Artur Bual são os espaços que vão receber as apresentações e também a nova edição. São exposições, lançamentos, sessões de autógrafos e palestras que fazem parte da programação deste ano, que, por medidas de segurança, conta com algumas iniciativas em formato híbrido.

A iniciar esta quinta-feira e até ao próximo dia 1 de novembro, a Amadora recebe de portas abertas todos os fãs que a banda desenhada conquistou ao longo dos anos. Ainda assim, não só o evento nacional regressa. Também os prémio de Banda Desenhada da Amadora marcam presença, distinguindo com um prémio de cinco mil euros a melhor banda desenhada de autor português.

Esta iniciativa decorre desde 1989 e foi implementada pela própria Câmara Municipal da Amadora para distinguir os autores de banda desenhada.

De segunda a quinta-feira, os espaços abrem às 10 horas e só encerram pelas 20 horas, enquanto às sextas-feiras, fins de semana e feriados estão abertos das 10 horas às 21 horas.

Para uma visita diária, o bilhete tem um custo de três euros, enquanto um passe custa dez euros. Para pessoas com mais de 65 anos e estudantes, a entrada tem um preço de dois euros. O programa do evento mostra ainda as horas a que vão decorrer as sessões de autógrafos, os debates e novos lançamentos de banda desenhada e também os temas das exposições patentes nos espaços, como “80 anos de Diana, a Mulher-Maravilha: Guerreira e Pacifista”, “75 anos de Lucky Luke: Os Herdeiros de Morris” e “Desvio”.

Recomendadas

Restaurante Zazah. Quando a cozinha de fusão é uma batida do coração

A cozinha de autor do chef Christian é de fusão. Exemplo disso é um mega pastel de bacalhau recheado com um ovo (mal cozido) que é servido partido ao meio. Sim porque o conceito do Zazah, no Príncipe Real, é de partilha. O restaurante tem IVAucher.

Em dezembro serve-se “Contrapeso” em Loulé

A 1ª edição do Festival Contrapeso quer afirmar a vitalidade dos agentes culturais e diversificar a oferta cultural na cidade algarvia. Até dia 5 de dezembro as águas vão andar agitadas.

JNcQUOI lança livro de homenagem a Maria de Lourdes Modesto

Ao todo, são 258 páginas que enaltecem os melhores pratos criados por Maria de Lourdes Modesto. Este é um projeto de edição limitada a 500 exemplares e disponível para venda no JNcQUOI. As receitas revertem na íntegra para a Associação CARITAS.
Comentários