Amazon Web Services aposta na inteligência artificial para aproximar adeptos do desporto

Tecnológica do grupo Amazon permite que os fãs de desporto tenham a possibilidade de terem uma maior perceção de tudo o que se passa, seja dentro de um campo de futebol ou durante um grande prémio de Fórmula 1.

Em tempos de pandemia e com a ausência de público dos recintos desportivos, a tecnologia tem sido a ferramenta utilizada para aproximar os adeptos do desporto. A aposta mais recente vem do grupo tecnológico Amazon, através da Amazon Web Services (AWS), e em parceria com a Bundesliga.

Um sistema de Inteligência Artificial (IA) e machine learning que possibilita aos amantes do desporto a possibilidade de terem uma maior perceção de tudo o que se passa, seja dentro de um campo de futebol ou durante um grande prémio de Fórmula 1.

Em entrevista ao Jornal Económico (JE), Carlos Carús, diretor de tecnologia da AWS para Portugal e Espanha, aborda o facto de como esta tecnologia tem permitido uma maior aproximação para com os fãs, mas também as empresas, bem como das próprias equipas envolvidas em modalidades como a Fórmula 1, NFL ou futebol.

Qual o feedback que a AWS tem tido por parte dos adeptos através do uso da IA/’machine learning’?

A experiência dos fãs tem vindo a mudar no antes, durante e depois dos jogos. Através da AWS, as pessoas que gostam de desporto estão a obter insights mais profundos diretamente no ecrã através de gráficos e experiências interativas em segundo plano. A compactação de dados em tempo real, análises e machine learning têm permitido complementar e enriquecer a transmissão e os comentários através de informações preditivas.

A título de exemplo, a Bundesliga, a liga profissional de futebol da Alemanha, tem atualmente a AWS como parceiro oficial de tecnologia para fornecer uma visão mais aprofundada de cada transmissão dos jogos do campeonato e permitir oferecer experiências diferenciadas e personalizadas aos fãs. Tecnologias como a inteligência artificial, machine learning, análises, computação, banco de dados ou serviços de armazenamento, têm permitido oferecer estatísticas em tempo real, a que chamámos Bundesliga Match Facts, e que ajudam os fãs a entender melhor o jogo, prever jogadas futuras e resultados do jogo. A AWS tem atualmente seis Match Facts que incluem: Average Position, xGoals, Speed Alert, Most Pressed Player, Attacking Zones and Average Position: Trends.

Em qual das modalidades existe um maior crescimento desta tecnologia de interação com os adeptos?

A tecnologia AWS está a mudar a indústria do desporto e a ajudar os nossos clientes a resolver problemas reais de negócio. A tecnologia em que se baseia o Bundesliga Match Facts está disponível para todos os clientes da AWS. No desporto, como de resto em quase todos os sectores, o machine learning, a inteligência artificial e a computação de alto desempenho estão a alavancar a próxima onda de inovações técnicas. Estamos a trabalhar com as principais organizações desportivas em todo o mundo, incluindo o Torneio das Seis Nações, a Fórmula 1, NFL, NHL, PGA Tour e tantas outras para oferecer recursos semelhantes. A AWS aprimora e enriquece a experiência dos fãs antes, durante e depois dos jogos através de dados e insights e experiências interativas em segundo plano. Alguns exemplos são:

A NFL utiliza a nossa principal plataforma de machine learning, Amazon SageMaker, para criar a Next Gen Stats (NGS) – a solução da NFL para rastrear dados complexos de jogo, incluindo velocidade dos jogadores, localização no campo e padrões de movimento. A experiência do adepto de futebol americano é a principal lente através da qual a AWS desenvolve soluções para a NFL Next Gen Stats. Com os adeptos a exigirem análises mais profundas, mais contexto e avaliações, a AWS e os seus parceiros, como a NFL, estão continuamente a tentar fornecer novas ofertas e insights que possam não apenas superar as expectativas dos fãs, mas também aumentar o seu envolvimento com o desporto. Os Next Gen Stats apresentados até o momento incluem Probabilidade de Conclusão, Probabilidade de Conversão do 3º Down, Jardas Esperadas Após a Captura, Probabilidade de Vitória, Probabilidade de Conversão e Previsão de Captura.

Esta parceria está a transformar a saúde e a segurança dos jogadores, produzindo novos insights sobre lesões dos jogadores, regras do jogo, equipamento, reabilitação e recuperação. Esses dados vão ainda ser disponibilizados a investigadores, fabricantes de equipamentos, treinadores, preparadores e profissionais médicos com base para futuras inovações. Os dados serão armazenados num data lake agregado e anónimo da AWS – parte de uma arquitetura baseada na cloud em várias camadas – para que outros possam tirar também partido deles.

Na F1, durante os Grandes Prémios, cada carro contém 300 sensores que geram 1,1 milhões de pontos de dados de telemetria por segundo que são transmitidos diretamente dos carros para os boxes. Esses dados em tempo real são combinados com mais de 70 anos de dados históricos de corrida armazenados no S3 e utilizados ​​para informar os adeptos e as equipas através dos F1 Insights fornecido pela AWS e tem utilizado o Amazon EC2 para Dinâmica dos Fluidos Computacional (CFD) para simular a aerodinâmica dos carros, alcançando o desempenho de um supercomputador a um custo muito mais baixo e reduzindo o tempo de simulação em média 7o% – de 60 horas para 18 horas.

Já Six Nations Rugby e o Stats Perform estão a trabalhar com a AWS para mudar a forma como os adeptos veem o jogo. O Six Nations Rugby introduziu um novo modelo de estatísticas de rugby em tempo real com AWS para permitir aos adeptos terem uma visão mais profunda do que se passa dentro de campo.

As estatísticas dinâmicas fornecidas pela AWS levam os adeptos do sofá diretamente para o balneário, revelando as nuances dos planos, jogadas, ataque e defesa de cada equipa. Essas estatísticas fornecem aos fãs informações importantes sobre uma variedade de acontecimentos durante o jogo, incluindo análises do scrum, padrões de jogo, tendências da equipas, entre outros. As estatísticas são geradas de dados recolhidos ao vivo nos jogos, e que são analisados e armazenados pela AWS, e em seguida usados na transmissão para que os espectadores em mais de 170 países possam desfrutar destas informações exclusivas.

Quais os custos que uma tecnologia deste tipo engloba?

Esta tecnologia não é necessariamente exclusiva das empresas na indústria do desporto, organizações de todos os setores estão a utilizar as tecnologias da AWS para inovar em nome dos clientes através do método de pay-per-use que a computação na cloud permite com base na infraestrutura tecnológica que uma organização necessita num determinado momento. A nossa estratégia com a Bundesliga não é diferente daquela que utilizamos outras empresas na área dos desporto ou mesmo outras indústrias: trabalhamos retroativamente com os nossos clientes para ajudar a resolver problemas de negócios através da inovação. Não é preciso ser uma organização desportiva profissional para tirar partido destes serviços.

Pensam expandir-se para mais modalidades e países, nomeadamente Portugal?

A tecnologia que Bundesliga, NFL ou F1 utilizam está disponível para qualquer empresa que trabalhe com a AWS. Neste sentido, vamos continuar a trabalhar com clientes em todo o mundo para permitir que criem novas experiências para os adeptos, inovem e tomem melhores decisões de negócios com base em dados.

Quão importante é para os adeptos este tipo de interação numa altura em que pandemia os tem privado de assistir aos eventos ‘in loco’?

A partir do momento em que os amantes do desporto foram privados de viver as emoções do desporto ao vivo, as experiências desportivas personalizadas tornaram-se mais importantes do que nunca. A AWS aprimora e enriquece a experiência dos fãs antes, durante e depois dos jogos por meio de dados, insights e experiências em segundo plano. Trabalhamos junto dos nossos clientes para resolver problemas reais de negócios. O draft da NFL é disso um bom exemplo: pela primeira vez na história a liga de futebol americano foi obrigada a realizar um draft virtual e contaram com a ajuda da AWS. A verdade é que os adeptos, sedentos por desporto, fizeram com que se tornasse o draft com maior audiência de todos os tempos. O mundo do desporto mudou e os adeptos vão querer que a tecnologia os aproxime cada vez mais dos desportos que mais gostam.

Ler mais
Recomendadas

Maratona de Nova Iorque realiza-se em novembro com 33 mil participantes

Adicionalmente à limitação de pessoas, será seguido um rígido protocolo sanitário desenhado especialmente para a ocasião, baseado no distanciamento social, na eliminação de pontos de contacto e na melhoria dos protocolos de saúde e segurança, bem como testes e rastreamento à Covid-19.

Cristiano Ronaldo tem uma coleção de carros impressionante. Conheça as ‘bombas’ na garagem do craque

Das marcas italianas às britânicas, passando pelos carros do filme ‘James Bond’, conheça algumas das ‘bombas’ mais valiosas de Cristiano Ronaldo.

Final da Liga dos Campeões poderá resultar na emissão de mais de cinco mil toneladas de GEE

A estimativa foi feita com base na previsão de que 12 mil passageiros, em classe económica, farão uma viagem de ida e volta entre os aeroportos de Londres Heathrow-Porto e Manchester-Porto. Isto sem contar com a deslocação entre as próprias equipas e convidados.
Comentários