Ameaça nuclear? Irão produzirá qualquer arma para defender o país, diz presidente

“Construímos, estamos a construir e continuaremos a construir mísseis, e isso não viola acordos internacionais”, disse Hassan Rouhani no parlamento.

O Irão vai continuar a produzir mísseis para a sua defesa e não considera que isso seja uma violação de acordos internacionais, diz o presidente Hassan Rouhani, quando discursou na televisão estatal, citado pela agência Reuters.

As declarações de Rouhani foram feitas dias depois da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos ter votado em novas sanções contra o programa de mísseis balísticos do Irão.

“Construímos, estamos a construir e continuaremos a construir mísseis, e isso não viola acordos internacionais”, disse Rouhani no parlamento.

Os Estados Unidos já impuseram sanções unilaterais ao Irão, uma vez que consideram que os seus testes de mísseis violam uma resolução das Nações Unidas , que exige que o Teerão não realize atividades relacionadas com mísseis nucleares.

O Irão nega os planos de construir mísseis com capacidade nuclear.

Rouhani também criticou o facto de Donald Trump recusar-se certificar formalmente de que o país está a cumprir o acordo, mesmo depois de especialistas internacionais considerarem que o Irão está a cumprir os requisitos.

“Está a desconsiderar as negociações passadas e os acordos aprovados pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, e ainda espera que negociemos com ele?”, perguntou Rouhani.

“Por causa deste comportamento, os Estados Unidos devem esquecer futuras conversas e acordos com outros países”, acrescentou Rouhani, referindo-se a países no Leste Asiático, uma aparente referência à Coreia do Norte.

 

Ler mais
Relacionadas

O que pode acontecer ao petróleo se Trump abandonar acordo com o Irão?

O Irão é o terceiro maior produtor de crude da OPEP e a hipótese de o acordo nuclear com os EUA chegar ao fim deverá ter efeitos imediatos limitados, mas a longo prazo tornar-se num novo foco de instabilidade no mercado petrolífero.

Irão falta a conferência da ONU sobre energia nuclear em Abu Dhabi

Em 13 de outubro, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a decisão de não certificar o histórico acordo e ordenou ao Congresso que tome medidas para “colmatar as graves lacunas” do texto.

Irão ameaça rasgar acordo nuclear “em pedaços”

O anúncio surge em resposta ao presidente norte-americano, Donald Trump, que ameaçou na sexta-feira abandonar o acordo multilateral se não forem corrigidos os seus “defeitos”, mediante uma negociação internacional ou uma lei do Congresso norte-americano.
Recomendadas

Reino Unido admite período de transição mais longo após-Brexit

“Uma ideia que surgiu – e neste momento é uma ideia – foi criar uma opção para estender o período de implementação por alguns meses. Seria apenas uma questão de uns meses”, afirmou a governante aos jornalistas presentes na cimeira de líderes europeus, que está a decorrer em Bruxelas.

Polícia turca termina buscas à residência do cônsul saudita em Istambul

A autorização de Riade para que pudessem ser efetuadas buscas na residência do diplomata só foi emitida na noite de terça-feira.

Reino Unido e Interpol criam plataforma para combater predadores sexuais

“A nossa mensagem para os predadores sexuais que usam este setor para cometer os seus crimes é: “acabou”, disse a ministra britânica do Desenvolvimento Internacional, Penny Mordaunt.
Comentários