Anacom. Utilizadores dos serviços móveis aumentam 3,4% no primeiro semestre

Trata-se do maior aumento de subscritores em 11 anos. A Anacom recolhe dados sobre os serviços móveis desde 2010. A Meo, da Altice, tem a maior quota de mercado nos serviços móveis, mas é a NOS que apresenta a quota mais elevada de tráfego de internet em banda larga móvel.

Edifício-sede da Autoridade Nacional de Comunicações, em Lisboa

O número de assinantes de serviços móveis cresceu 3,4%, para 414 mil utilizadores, no primeiro semestre de 2021, anunciou a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) esta terça-feira. Trata-se do maior aumento de subscritores desde que o regulador recolhe estes dados (2010).

Em comunicado, a Anacom sublinha que se registavam no final de junho um total de 12,5 milhões de cartões de serviços móveis ativos. “Este aumento é explicado pela evolução dos planos pós-pagos e híbridos (+5,7% nos últimos 12 meses), que representam 62,9% do total de acessos, e estará associado ao gradual levantamento das limitações de circulação iniciado na segunda quinzena de março. Os planos pré-pagos, continuaram a evidenciar uma tendência de decréscimo (-0,1% nos últimos 12 meses), à semelhança do que vem ocorrendo desde 2012”, lê-se.

O crescimento de assinantes de serviços móveis também teve um impacto positivo no tráfego de voz móvel, que cresceu 7% até ao final de junho. O regulador diz que a evolução ocorrida foi “influenciada” pela pandemia da Covid-19. “Estima-se que, caso esta não tivesse ocorrido, o tráfego médio de voz móvel por acesso, teria aumentado 4,6% neste semestre face a igual período de 2020”, nota a Anacom.

O contexto pandémico ao longo dos últimos cinco trimestres (15 meses) terá influenciado, em média, “mais de 11,8% por trimestre”. “A Covid-19 terá também influenciado o tráfego com destino a redes internacionais, que diminuiu 12,6%”, segundo o regulador.

Quanto ao serviço móvel de acesso à internet, o número de utilizadores fixou-se em oito milhões, nos primeiros seis meses do ano. Ou seja, o número de utilizadores efetivos do serviço móvel de acesso à internet avançou 2% face ao período homólogo, o que significa que hoje cerca de 78 pessoas em cada 100 habitantes subscrevem um serviço móvel de acesso à internet.

“Este aumento resulta de um maior número de utilizadores do serviço de acesso à Internet através do telemóvel (+1,3%) e de PC/tablet/pen/router (+11,9%). Neste último caso, trata-se do maior crescimento homólogo registado desde 2010, o qual poderá estar associado ao Programa Escola Digital (lançado em setembro de 2020), ao gradual desconfinamento e ao início do verão”, lê-se.

Ora, o aumento do número de utilizadores explica, em parte, o crescimento do tráfego de acesso à internet em banda larga móvel, que disparou 24,6% entre janeiro e julho. O crescimento é também explicado pela Anacom com o “aumento da intensidade de utilização do serviço”.

“O tráfego médio mensal por utilizador ativo de internet móvel aumentou 23,7% face ao período homólogo. Cada utilizador de banda larga móvel consumiu, em média, 5,5 GB [gigabytes] por mês. O tráfego médio mensal gerado por PC/tablet/pen/router atingiu os 25,8 GB (+27,6%). A Covid-19 terá contribuído para a evolução ocorrida, especialmente no caso das ofertas suportadas em PC/tablet/pen/router”, salienta o organismo liderado por Cadete de Matos.

Apesar deste crescimento, a Anacom diz que Portugal é o país com menor consumo médio mensal de dados móveis entre 65 países, citando um estudo da Opensignal. “Os diferentes níveis de consumo de dados móveis resultam dos diferentes níveis de: penetração de 5G e banda larga fixa; utilização de redes Wi-Fi (onde Portugal se destaca); preços e características das ofertas disponíveis em cada país”, adianta-se.

Não obstante, a Anacom refere que “a penetração do serviço móvel ascendeu a 170,4 por 100 habitantes”, sendo que “a penetração de acessos móveis comercializados em pacote com serviços fixos foi de 48,1 por 100 habitantes”.

A Meo (detida pela Altice Portugal) surge como o operador com maior quota de mercado nos acesso móveis ativos (40,4%). Segue-se a Vodafone (29,8%), a NOS (26,7%) e a Nowo (1,8%).

Apesar da Meo ser o operador com mais subscritores de serviços móveis, é a NOS que detém “a quota mais elevada de tráfego de internet em banda larga móvel com 45,4%”. Segue-se a Meo (27,4%) e a Vodafone (26,7%).

Recomendadas

Crise dos combustíveis deverá levar a subida de preços dos serviços até 15% em Portugal

O ajustamento em alta acumula-se ao aumento dos preços na ordem dos 5%, atribuído à retoma económica e ao crescimento da procura no período de desconfinamento em Portugal.

OE2022. UTAO alerta para riscos associados à pandemia e regras de Bruxelas

A unidade técnica lembra que as regras orçamentais de Bruxelas foram suspensas na sequência da pandemia, mas um levantamento desta suspensão pode significar que a “consolidação que não se faça nas condições menos exigentes de 2022 terá que ser feita com menos graus de liberdade em 2023 e anos seguintes”.

Financiamento das administrações públicas recua em agosto para 6,2 mil milhões de euros

Este valor em agosto resulta do financiamento em 11,7 mil milhões junto dos bancos residentes, que é compensado pelas rubricas relativas à relação com o restante sector financeiro e com o exterior, em que as administrações públicas nacionais são financiadoras em 3,4 e 2,1 mil milhões de euros, respetivamente.
Comentários