“Anedota do ano”. Governo da Madeira ridiculariza declarações do administrador da TAP

Antonoaldo Neves disse aos deputados que “a TAP não opera na modalidade de serviço público” e recusou que a companhia discrimine a Madeira. Governo madeirense já reagiu.

António Pedro Santos/Lusa

O presidente do Governo da Madeira disse hoje que não ficou surpreendido por o administrador da TAP ter afirmado que a companhia não tem obrigação de serviço público com a região, considerando, porém, que isso é a “anedota do ano”.

“Não fiquei surpreendido, porque esse serviço público já não é prestado há bastante tempo”, afirmou Miguel Albuquerque, a propósito da audição ao presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, na quinta-feira (13 de setembro), na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas.

Antonoaldo Neves disse aos deputados que “a TAP não opera na modalidade de serviço público” e recusou que a companhia discrimine a Madeira, realçando que as acusações podem ser contrariadas com factos, como o acréscimo de 11,7% no transporte de passageiros até agosto, numa comparação homóloga, para mais de 615 mil passageiros.

O responsável vincou, por outro lado, que entre janeiro e agosto 78% das viagens entre Lisboa e Funchal custaram menos 195 euros.

“Eu volto a dizer o seguinte: o problema é do Estado e do Governo. O Governo tem de intervir e tem de fazer valer o seu peso no capital social [da TAP], porque se só tem 50% do capital social para cobrir os prejuízos eventuais, isso então é uma anedota ao nível nacional”, disse Miguel Albuquerque, à margem da inauguração de um posto florestal, no concelho de Santa Cruz, zona leste da ilha da Madeira.

O chefe do executivo realçou que o “senhor que está à frente da TAP” tem uma “vocação para dizer coisas descabidas”, sublinhando que as autoridades regionais já perceberam que da parte daquela empresa “não há obrigação nenhuma para com a Madeira”, atendendo à forma com tem atuado nos últimos meses, sobretudo ao nível dos preços e do cancelamento de voos.

“Andam a gozar com os madeirenses”, disse Miguel Albuquerque, reafirmando que os preços praticados pela companhia aérea são “perfeitamente pornográficos”.

O governante salientou que a TAP não pode ter uma política comercial no sentido de “extorquir dinheiro” aos madeirenses e lembrou que o Estado detém a maioria do capital social da empresa.

“A não ser que esta questão seja uma forma encapotada de o Estado e os contribuintes estarem a injetar dinheiro na companhia aérea”, alertou.

Ler mais
Recomendadas

Rui Patrício nomeado para Fundação Coleção Berardo após demissão de administrador do Estado

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, nomeou o advogado para a administração da fundação no seguimento da renúncia ao mandato de João Nuno Azevedo Neves. Demissão de administrador nomeado pelo Estado surge no âmbito do processo de guarda do arresto das cerca das 1.000 obras de arte José Berardo que estão no CCB , tal como noticiado nesta terça-feira, 17 de Setembro pelo Jornal Económico.

UTAO: Novo Banco atira défice para 0,8% do PIB no 1.º semestre

O valor estimado pela UTAO para o semestre fica aquém da meta do Governo para o conjunto do ano, de 0,2% do PIB, “sem, contudo, colocar em causa o seu cumprimento”, consideram os técnicos do parlamento.

Região norte é a que mais cresce no setor do turismo em Portugal

O Porto e norte de Portugal afirmou-se, durante o mês de Julho, como o destino que mais cresce na actividade turística no todo do contexto nacional. Dormidas totais registam aumento de perto de 12%,  o que corresponde a 1,1 milhões de dormidas.
Comentários