Angela Merkel: “Cerca de 60 a 70% dos alemães ficarão infetados com o coronavírus”

O ministro da Saúde, Jens Spahn, confirmou o cenário previsto pela chanceler de que a maioria da população alemã terá o Covid-19 – isto caso não seja possível criar e administrar uma vacina até lá.

A chanceler alemã alertou esta segunda-feira que até 58 milhões de pessoas na Alemanha poderão contrair o novo coronavírus (Covid-19). O aviso foi lançado durante uma reunião do seu partido – CDU (União Democrática Cristã) – e motivou o silêncio do grupo parlamentar, escreve o jornal local “Bild”.

“Cerca de 60 a 70% dos alemães ficarão infetados com o coronavírus”, disse Angela Merkel. Para a dirigente política alemã, com este vírus o país está a “enfrentar um desafio” que nunca tive antes. “Depende efetivamente de nós”, refere.

Segundo Angela Merkel, o ministro da Saúde, Jens Spahn, “carrega o fardo principal”. “Ele fá-lo muito bem, o que também é um incentivo para o futuro próximo, porque a crise ainda não terminou”, afirmou nesse encontro da CDU. Aliás, Jens Spahn confirmou o cenário previsto pela chanceler de que a maioria da população alemã terá o novo coronavírus – isto caso não seja possível criar e administrar uma vacina até lá.

A Alemanha contabiliza neste momento duas mortes pelo surto que nasceu em Wuhan e já infetou mais de 117 mil pessoas em todo o mundo. Uma mulher de 89 anos faleceu em Essen, na Renânia do Norte-Vestfália e a outra morte ocorreu na mesma região, em Heinsberg, uma vila próxima da Holanda.

Recomendadas

Governo prepara aprovação do “trabalho digno” e novo estatuto do SNS em Conselho de Ministros

Os bloquistas fizeram saber ao Governo que colocaram em cima da mesa nove propostas para viabilizar o próximo Orçamento. António Costa garante “total abertura” para negociar e garante que propostas serão aprovadas em Conselho de Ministros, esta quinta-feira.

Pfizer e Moderna vão continuar a dominar mercado das vacinas anti-Covid em 2022

Segundo os cálculos da Airfinity, as duas fabricantes de vacinas mRNA irão dominar três quartos do mercado vacinal em 2022, alargando a margem entre as rivais AstraZeneca, Johnson & Johnson, a vacina russa Sputnik V.

OMS cria programa para distribuir medicamentos contra a Covid por menos de 10 euros

Para arrancar com a iniciativa intitulada de ACT-A, a OMS pede um financiamento adicional de 22,8 mil milhões aos líderes mundiais do G20.
Comentários