António Costa agradece ao Santander sinal de confiança na economia

Na inauguração da sede do Santander Totta, Costa agradeceu a Ana Botin a escolha de Portugal como destino de investimento do banco espanhol.

Cristina Bernardo

O primeiro-ministro, António Costa, agradeceu hoje ao banco Santander “o sinal de confiança na economia portuguesa e em Portugal” ao investir na construção de um novo edifício, hoje inaugurado.

No discurso feito no momento da inauguração do novo edifício do Santander Totta, da autoria do arquiteto Frederico Valsassina, António Costa apontou que este evento “acontece num momento de viragem da nossa economia”.

O momento de viragem traduz-se, para o primeiro-ministro, nos dados que têm sido divulgados pelo Instituo Nacional de Estatística (INE), como a confiança dos consumidores, “que atingiu o máximo desde 2000”.

Costa sublinhou a ideia de melhoria apontando, também, que a economia portuguesa tem vindo a acelerar o ritmo de crescimento, que “no terceiro trimestre de 2016 teve o melhor crescimento da União Europeia” e que os dados do governo “permitem antever que o ritmo acelerou um pouco” nos últimos três meses do ano.

Esta evolução, diz o governante, é o resultado de um crescimento equilibrado entre procura interna e investimento.

“As empresas estão a investir mais”, sublinha.

Os dados provisórios de dezembro do desemprego foram também citados, tendo sido apontada a criação de “100.000 postos de trabalho líquidos no ano passado”.

 

 

Recomendadas

Presidente da República deve publicar dissolução da Assembleia a 5 de dezembro

Marcelo Rebelo de Sousa deverá publicar a dissolução da Assembleia da República em 5 de dezembro, depois de dar algum tempo ao Governo de apresentar diplomas sobre o combate à pandemia.

Ferro Rodrigues despede-se da AR: “Maior honra da minha vida” foi ser presidente do Parlamento

A despedida do presidente do parlamento foi aplaudida de pé por todas as bancadas.

Rio e Rangel convergem em melhores salários e menos carga fiscal

Redução da carga é apontada por ambos os candidatos à liderança do PSD como instrumento para alavancar a competitividade da economia e permitir aumentos de salários.
Comentários