António Costa destaca Eduardo Lourenço como “camarada” com quem aprendeu muito

O primeiro-ministro lamentou a morte de Eduardo Lourenço e sublinhou ainda a importância de Eduardo Lourenço na reflexão sobre “os fatores da intemporalidade nacional”, destacando o livro “Labirinto da Saudade”, “seguramente um dos mais notáveis ensaios da ensaística portuguesa”.

Flickr/PS

O primeiro-ministro, António Costa, lamentou a morte do ensaísta Eduardo Lourenço, recordando um amigo e camarada com quem aprendeu muito.

“É, para mim em particular, um momento de grande tristeza. Trata-se de um amigo, um camarada, de alguém com quem tive a oportunidade de privar, de aprender muito, e que nos deixa”, afirmou António Costa, que falava aos jornalistas à margem das comemorações do 1.º de Dezembro, em Lisboa.

O primeiro-ministro realçou que este momento é também “um convite a conhecer a obra” de Eduardo Lourenço e de prosseguir a reflexão que o ensaísta deixa.

“Seguramente seria a sua vontade”, acrescentou.

António Costa sublinhou ainda a importância de Eduardo Lourenço na reflexão sobre “os fatores da intemporalidade nacional”, destacando o livro “Labirinto da Saudade”, “seguramente um dos mais notáveis ensaios da ensaística portuguesa”.

O ensaísta Eduardo Lourenço, de 97 anos, morreu hoje em Lisboa.

Professor, filósofo, escritor, crítico literário, ensaísta, interventor cívico, várias vezes galardoado e distinguido, Eduardo Lourenço foi um dos pensadores mais proeminentes da cultura portuguesa.

Ler mais
Recomendadas
Marta Temido em entrevista à RTP

Fecho imediato de todas as escolas vai ser discutido em Conselho de Ministros nesta quinta-feira

Ministra da Saúde admite que é possível chegar a 20 mil mortes causadas pela pandemia até março. Variante britânica do coronavírus SARS-CoV-2 representa 20% dos casos de infeção e poderá chegar aos 60%.

Beneficiários de prestações de desemprego com aumento de 40,9% em dezembro

De acordo com os dados, hoje divulgados, o subsídio de desemprego abrangeu 205.303 beneficiários, aumentando 42,8% em termos homólogos e 5,8% por comparação com o universo de beneficiários registado em novembro.

Carlos Carreiras: “Variante britânica do coronavírus pode infetar 60% da população portuguesa nos próximos quinze dias”

Em entrevista à JE TV, o presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, citou um relatório do Instituto Ricardo Jorge para alertar que a variante do coronavírus do Reino Unido pode afetar 60% da população portuguesa nos próximos quinze dias. O autarca espera que esta informação seja decisiva para o fecho das escolas.
Comentários