António Costa é a nona personalidade mais influente de 2018 para o ‘Politico’

“Depois de encaminhar o seu partido para festa a uma vitória recorde nas eleições autárquicas de outubro, o primeiro-ministro português chega ao novo ano na esperança de fazer ainda melhor”, explica o Político.

O primeiro-ministro, António Costa, é uma das personalidades mais influentes de 2018, de acordo com o Politico. O ranking “Class de 28” da organização de jornalismo político coloca o governante português na posição de nona figura mundial “who are shaping, shaking and stirring Europe” [que está a moldar, agitar e a ‘dar um abanão’ na Europa”].

O jornal norte-americano considera o chefe de Governo português um “caso raro na Europa de hoje: um socialista de sucesso” e “um duro lutador político escondido atrás de um pronto sorriso de campanha”. “Depois de encaminhar o seu partido para festa a uma vitória recorde nas eleições autárquicas de outubro, o primeiro-ministro português chega ao novo ano na esperança de fazer ainda melhor”, explica o Politico.

A tabela dos líderes políticos do próximo ano é encabeçada por Christian Lindner, Partido Democrático Liberal, pelo ministro da Justiça e Lorde Chanceler do Reino Unido, Michael Gove, e por ministra do Trabalho francesa, Muriel Pénicaud.

Na tabela de personalidades influentes deste ano, onde esteva incluída a empresária Isabel dos Santos, Sadiq Khan, mayor de Londres, conquistou o primeiro lugar.

Fonte: Politico

Ler mais
Recomendadas

Marques Mendes: 1,2 mil milhões “não vão chegar” para a TAP

O comentador político espera que o Governo opte por fazer uma auditoria financeira à companhia área. E está convencido que os 1,2 mil milhões de euros a injetar não vão ser suficientes.

Jerónimo quer gestão privada fora da TAP

Jerónimo de Sousa, que falava num comício no Porto, acusou ainda o Presidente da República de “branquear o PSD” e a “política de direita”.

Cinco personalidades pedem “apreciação dos abundantes conflitos de interesses” no Parlamento

Paulo de Morais, Henrique Neto, João Paulo Batalha, Óscar Afonso e Mário Frota escreveram uma carta a Eduardo Ferro Rodrigues onde instam o presidente da Assembleia da República a pedir à Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados que faça a apreciação dos “abundantes conflitos de interesses que subsistem”.
Comentários