António Costa e Silva confirma convite do primeiro-ministro: “É uma tarefa cívica”

“Continuo na minha empresa a e o resto [hipótese de ser o próximo ministro da Economia] são especulações sem fundamento”, afirmou o presidente da Partex ao jornal online “Eco”.

O presidente da Partex confirmou este sábado que foi convidado pelo primeiro-ministro para estudar o plano de recuperação da economia, analisando as necessidades estruturais do país com todos os ministros, os partidos e os parceiros sociais.

Em declarações ao jornal online “Eco”, António Costa e Silva disse que se trata de “um plano a médio e longo prazo”. “O meu trabalho é de mero cidadão. É apenas uma tarefa cívica que estou a desempenhar pro bono. Continuo na minha empresa a e o resto [hipótese de ser o próximo ministro da Economia] são especulações sem fundamento”, afirmou.

Segundo o gestor da petrolífera, a tarefa “levará meses” e abrange “sete ou oito objetivos estratégicos”: transportes ferroviários; infraestruturas portuárias; gestão de recursos de água; competências digitais das pequenas e médias empresas; reforço do investimento no sistema nacional de saúde; reconversão industrial; recursos endógenos; coesão territorial ou transição energética.

Segundo o semanário “Expresso”, que avançou a notícia na edição de hoje, o chefe do Executivo já terá informado todos os ministros do convite feito a António Costa Silva, que gere a petrolífera que a Fundação Calouste Gulbenkian vendeu aos tailandeses da PTT Exploration and Production por 622 milhões de dólares em novembro de 2019, tendo o gestor já reunido com alguns dos titulares das pastas.

Relacionadas

CDS-PP conta debater plano de recuperação com “Costa e Siza” e “não com Costa Silva”

Os democratas-cristãos salientam que, há três meses, “o CDS sugeriu ao Governo a criação de um gabinete de crise para relançar social e economicamente o país, que integrasse representantes de vários setores fundamentais e todos os partidos com assento parlamentar”.

Bloco de Esquerda rejeita existência de “paraministros”

O partido diz que só negoceia com membros do Governo, depois de vir a público que o gestor da petrolífera Partex António Costa Silva “tornou-se uma espécie de ‘paraministro’”.
Recomendadas

Exportações agroalimentares sobem 0,4% até junho para 3.285 milhões de euros

Só em junho, as exportações progrediram 5,2% para 552 milhões de euros, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, enquanto as importações recuaram 0,7% para 801 milhões de euros.

Processamento de vistos nacionais volta a estar disponível

O Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou ainda que o serviço para pedidos de visto nacionais pode ser feito nas “línguas portuguesa, inglesa, francesa, russa e ucraniana”

“Julho evidencia travagem na recuperação das viagens e do turismo”, alerta a EY/Parthenon

A quarta edição do “Caderno de Notas” da EY/Parthenon, sobre “A crise económica da Covid-19” – divulgada esta sexta-feira, 7 de agosto – um trabalho elaborado com a supervisão e direção científica de Augusto Mateus, strategic consultant da EY Portugal, traça a análise da crise económica ao quinto mês da pandemia.
Comentários