António Costa: “PSD e CDS? São programas de quem não pretende governar”

Nesta entrevista à Antena 1, o secretário-geral do PS também traçou como prioritário o equilíbrio das contas públicas. Por isso, não entende as promessas eleitorais de CDS e PSD, para a descida de impostos em Portugal: “São programas de quem não pretende governar”.

Relacionadas

António Costa: “Governo de coligação com o Bloco ou o PCP não seria um bom Governo”

Em entrevista na SIC, secretário-geral do PS admite entendimentos pontuais com o PSD sobre reformas estruturais.

António Costa afasta possibilidade de nacionalizar EDP e Galp

“O programa do Partido Socialista não é o programa do Bloco de Esquerda. Recomendo a leitura, é um programa próprio”, disse o secretário-geral do PS.

Rui Rio afasta Bloco Central que “só faz sentido numa situação extremamente grave para Portugal”

Líder social-democrata admitiu que seja preciso descer menos impostos e limitar aumento do investimento público se o crescimento económico abrandar. Negando que o cenário macroeconómico em que se baseia o programa de governo do PSD, disse que “temos lá economistas, bons, mas não são bruxos”.
Recomendadas

Porco, queijos e fruta portuguesa na ‘mira’ de Trump. Estes são os produtos que vão ser penalizados

A Organização Mundial de Comércio (OMC) autorizou em definitivo que Washington imponha sanções aduaneiras contra a União Europeia, em resposta aos subsídios concedidos ao construtor aeronáutico europeu Airbus pelos governos europeus. Estes são os produtos portugueses que vão ser penalizados por Trump.

“O IPDJ é cúmplice na violação de sentenças judiciais”

Em entrevista ao programa ‘Jogo Económico’, o presidente do CF “Os Belenenses” criticou o Estado, mais concretamente o Instituto Português do Desporto e da Juventude, por ser “cúmplice na violação” de sentenças judiciais, no que diz respeito à SAD.

“Nem tudo são rosas”. Qual o impacto negativo de uma quebra nas taxas de juro?

Os bancos têm várias formas de captar o seu rendimento e se não conseguem fazê-lo ao nível dos créditos, vão aumentar comissões. “Nem tudo são rosas”, alerta João Morais Barbosa, administrador do Grupo Reorganiza.
Comentários