António Guterres participa na cimeira do G7 e intervém sobre biodiversidade e oceanos

O secretário-geral das Nações Unidas vai participar na cimeira do G7, seguindo depois para uma conferência sobre o desenvolvimento africano, no Japão, e ficará três dias na República Democrática do Congo para mobilizar apoio contra a epidemia de Ébola.

De acordo com Stéphane Dujarric, porta-voz de António Guterres, o secretário-geral da ONU arranca de Washington na sexta-feira para participar, no fim de semana, na cimeira do G7, em Biarritz, no sudoeste de França, na qual intervirá em sessões sobre a biodiversidade e os oceanos, o combate às desigualdades e as parcerias entre África a a região do Sahel.

Depois, o antigo primeiro-ministro português rumará para Oriente, onde participará, no dia 27, na sétima Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano (TICAD, na sigla em inglês), tendo prevista uma reunião com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

O porta-voz de Guterres anunciou ainda que o secretário-geral aterrará na República Democrática do Congo no dia 31 para uma visita de três dias, que inclui uma deslocação a um centro de tratamento de Ébola e uma reunião com o Presidente Felix Tshisekedi.

Recomendadas

Senado norte-americano começa hoje apreciação do impeachment

Tudo indica não só que Trump escapará sem ser demitido, como também que dificilmente será afetado pelas repercussões do processo quando chegarem as eleições de novembro.

Organização Mundial de Saúde reúne-se devido a surto de coronavírus na China que provocou três mortos

A Organização Mundial de Saúde (OMS) convocou para quarta-feira uma reunião de peritos para avaliar se o surto de coronavírus na China constitui uma emergência de saúde pública internacional, anunciou hoje a instituição em comunicado.

Surto de vírus desconhecido na China é transmissível entre humanos, alertam autoridades de saúde

A nova estirpe de coronavírus foi descoberta na cidade de Wuhan, no centro da China, que tem 11 milhões de habitantes. A Comissão Nacional de Saúde da China alertou para que haja maior precaução por parte dos habitantes já que se aproxima a celebração do Ano Novo chinês no final desta semana.
Comentários