António Mexia investiu 25 mil euros na compra de ações da EDP

No aumento de capital da elétrica portuguesa, em curso, o presidente suspenso da empresa subscreveu um total de 7.738 títulos, a um preço unitário de 3,3 euros.

Cristina Bernardo

O presidente da EDP, com funções suspensas, investiu cerca de 25 mil euros na compra de ações da elétrica portuguesa na operação de aumento de capital que a empresa tem em curso.

“No contexto do aumento de capital pelo qual é conferido aos acionistas direitos de subscrição, António Luís Guerra Nunes Mexia, presidente do conselho de administração executivo (atualmente com funções suspensas) informou a EDP que optou pelo exercício dos respetivos direitos”, informa um comunicado divulgado pela CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

O documento esclarece que “esta operação não está associada ao exercício de programas de opções sobre ações”.

A CMVM informa ainda que as ações da EDP adquiridas por António Mexia, num total de 7.738 títulos da elétrica nacional, foram subscritas a um preço unitário de 3,3 euros, o que traduz um investimento global de cerca de 25,5 mil euros nesta transação por parte de António Mexia.

Recomendadas

Marques Mendes diz que CGD liderará sindicato bancário para financiar o Novo Banco

Luís Marques Mendes, revelou este domingo que a injeção do Fundo de Resolução no Novo Banco vai ser possível através do empréstimo de um sindicato bancário, que será liderado pela CGD. O comentador revelou que não houve qualquer conversa entre o BCP e o Governo para uma fusão com o Montepio. O JE confirmou que Miguel Maya não falou com João Leão sobre uma integração do Banco Montepio.

Premium“Construtoras nacionais apenas ficam com 20% das obras públicas”, diz bastonário da Ordem dos Engenheiros

O desinvestimento em pessoas e equipamentos ao longo dos últimos anos foi tão grande que apenas 20% das obras públicas lançadas ficam em empresas portuguesas, afirma Carlos Mineiro Aires.

Miguel Albuquerque diz que “a Madeira vai ultrapassar efeitos devastadores no turismo”

O presidente do Governo da Madeira mostrou-se este domingo convicto de que a região vai conseguir superar “mais este grande desafio” dos “efeitos devastadores” no setor do turismo provocado pela pandemia da covid-19.
Comentários