APED estabelece protocolo com Agência Portuguesa do Ambiente para deduzir consumo de plástico

O acordo prevê o desenvolvimento e teste de soluções alternativas aos plásticos descartáveis de origem fóssil, através de parcerias com universidades ou centros de investigação.

A APED – Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição e a APA – Agência Portuguesa do Ambiente estabeleceram um compromisso de cooperação para a promoção do uso responsável do plástico na cadeia de valor do setor. O acordo foi assinado na conferência “Live(ing) with less plastic”, que teve lugar esta sexta-feira, dia 22 de fevereiro, em Lisboa.

“O documento foi o resultado do trabalho da APED e da APA no âmbito da Estratégia Europeia para os Plásticos e prevê o desenvolvimento e teste de soluções alternativas aos plásticos descartáveis de origem fóssil, através de parcerias com universidades ou centros de investigação. Por sua vez, a APA irá identificar barreiras que condicionem a adoção de soluções mais sustentáveis”, destaca um comunicado da APED.

Segundo esse documento, “a APED vai ainda cooperar na implementação do sistema de depósito de embalagens de bebidas de plástico não reutilizáveis e reforçar as ações de comunicação junto do consumidor para fomentar a mudança de comportamentos e a escolha de alternativas aos plásticos de origem fóssil”.

“O setor da distribuição tem tido um papel fundamental na adoção de alternativas mais sustentáveis e na criação de soluções, em parceria com entidades da ciência e tecnologia. Com esta iniciativa, o objetivo é ir mais além na utilização de materiais alternativos ao plástico”, destaca Gonçalo Lobo Xavier, diretor-geral da APED.

O responsável reforça ainda “que este é um passo importante na redução da utilização dos plásticos descartáveis, nomeadamente através do desenvolvimento e aposta em novos materiais.”

A APED destaca também que “tem atuado com uma abordagem setorial integrada numa lógica de ‘economia circular’ refletida, por exemplo, em documentos de referência e instrumentos de trabalho como a ‘Carta da Sustentabilidade’, o ‘Guia de Boas Práticas Ambientais’ e o ‘Compromisso Circular’”.

Ler mais
Recomendadas

Dona do Minipreço sai de falência técnica após chegar a acordo com os credores

O grupo espanhol Dia anunciou que cumpriu as condições de suspensão do contrato de refinanciamento assinado a 25 de junho, tendo os seus títulos recuperado quase 12%.

Expansão da Mercadona em Portugal prossegue. Terceiro supermercado inaugurado na Maia

A nova loja localiza-se na freguesia de Vermoim, Maia, contando com uma superfície de vendas de 1.900 m2 e 190 lugares de estacionamento. A Mercadona “criou cerca de 85 novos postos de trabalho, estável e de qualidade, com contratos sem termo” com esta loja, representando “um investimento médio de 50 mil euros por colaborador”.

Continente investiu 250 milhões em frescos nacionais em 2018

Este valor representa um aumento de cerca de 10% relativamente a 2017.
Comentários