“Preços das casas subiram demasiado em Portugal”, admitem imobiliárias

Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, diz que “o Alojamento Local potenciou investidores a apostar na reabilitação urbana”.

“Os preços das casas subiram demasiado em Portugal, porque tem havido falta de oferta imobiliária”, afirma ao Jornal Económico Luís Lima. O presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), mostra-se contra as medidas que bloqueiem quer a procura, os clientes, quer a oferta, os investimentos, e que permitiriam fazer descer os preços do metro quadrado no mercado nacional, bem como a descida dos valores das rendas praticadas.

“Acho que é muito prejudicial ao país, e se fizermos isso, vamos pagar bem caro”, diz Luís Lima. Sobre a reabilitação urbana, considera que “a maior parte dos investimentos foram feitos por privados e isso ajudou a renovação dos prédios”.

O presidente da APEMIP assume que “o Alojamento Local potenciou investidores a apostar na reabilitação urbana e ajudou à recuperação do setor da construção imobiliária”, sublinhando que “a reabilitação de Lisboa e Porto tem-se alargado a todo o país. Basta ver cidades como Viseu, Braga (que tem muita construção nova), Guimarães e mesmo o Algarve, no caso de Faro”, adianta. Luís Lima, aponta a dificuldade de mão de obra, como o principal problema do setor. “Precisamos urgentemente de mais pessoas a trabalhar na construção civil, porque temos dificuldade de contratar mão de obra. Isso está a originar dificuldade em avançar com outros projetos”.

O presidente da APEMIP realça que o país não pode “perder o investimento estrangeiro, que ajudou à renovação das cidades. Lisboa estava vazia, suja e barata”. Atualmente, vive o ‘reverso desta medalha.’ “Hoje em dia, a cidade está bonita, mas também está cara. Isso é a parte negativa”, diz.

O líder da APEMIP salienta que Portugal, é “um país histórico que tem um grande trabalho na área da reabilitação urbana, e que os estrangeiros e os turistas dão muito valor”.

Recomendadas

Governo garante complemento de estabilização a trabalhadores que estiveram em layoff

O esclarecimento do Governo foi efetuado face às dúvidas suscitadas quanto ao recebimento do complemento de estabilização por parte destes trabalhadores, procedendo à clarificação do regime previsto no 3º do DL n.º27-B/2020, de 19 de junho.

Apoio à retoma da atividade: Segurança Social Direta disponibiliza formulário para empresas

“O formulário e o processo é idêntico ao do pedido de lay-off simplificado havendo a registar apenas diferenças pontuais e relativas à natureza do apoio”, explica o comunicado. Saiba como obter o formulário.

Para onde viajar? Conheça as restrições de viagens aplicadas pelos países europeus

Um guia que explica se pode ou não ir na Europa, dadas as restrições impostas à circulação entre países resultantes da pandemia de Covid-19.
Comentários