Apoio da República para regressados da Venezuela tem sido “conversa”

Depois dos secretários da Saúde e dos Assuntos Sociais terem assumido, em entrevista ao Económico Madeira, a falta de pagamento nas verbas destinadas aos emigrantes, agora é a vez do presidente do Governo reafirmar as críticas ao Governo central.

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, declarou esta quarta-feira que o compromisso do Governo da República em dar apoios financeiros para fazer face ao regresso de cidadãos da Venezuela “tem sido apenas conversa”.

As declarações de Albuquerque surgem após os secretários da Saúde e dos Assuntos Sociais terem assumido, em declarações avançadas ao Económico Madeira,  a falta de cumprimento na transferência das verbas da República para o apoio aos emigrantes, com o Governo a revelar-se preocupado com a situação de 238 famílias inscritas para beneficiar de apoio à habitação.

“O objetivo é comparticipação para fazer face ao fluxo de conterrâneos da Venezuela”, disse hoje Miguel Albuquerque no âmbito de uma visita que efetuou ao Lar de Santa Isabel, no Funchal.

O líder madeirense  garantiu que o acordo foi celebrado entre os executivos nacional e regional para apoiar os que estão a regressar devido à situação crítica na Venezuela, sobretudo nas áreas da educação, saúde e integração do mercado de trabalho.

“Mas é necessário que venha para ajudar. Até agora tem havido só conversa”, afirmou.

Recomendadas

O que fazer quando um crédito “desaparece” da Central de Responsabilidades

No caso de o crédito “desaparecer” da CRC não significa que a dívida deixou de existir, sendo que o consumidor mantém a sua responsabilidade perante a obrigação. Esta situação poderá ocorrer aquando da cessão de crédito (venda da dívida a terceiros), a favor de uma entidade fora do sistema financeiro, pelo que esta passa a assumir a posição de credor.

PSD quer zona franca e registo de navios incluídos em estratégia atlântica

O deputado do PSD, Paulo Neves, afirmou que o Centro Internacional de Negócios (CINM) e o Registo de Navios (MAR) são de enorme importância para o país, e por isso deveriam ser prioritários para o Governo da República.

Cafôfo defende criação de rede para apoiar crianças que saem das instituições

Paulo Cafôfo considera necessário criar redes com equipas multidisciplinares, que façam a reabilitação da família e que deem o suporte que os jovens necessitam.
Comentários