Apollo Global Management vai comprar Tech Data por 4,9 mil milhões de euros

Os acionistas vão receber 130 dólares por ação.

A gestora de investimentos Apollo Global Management, através de fundos geridos pela sua afiliada Apollo Funds, vai comprar a Tech Data por 5,4 mil milhões de dólares (aproximadamente 4,9 mil milhões de euros). Os acionistas da empresa que vai ser adquirida vão receber 130 dólares por ação (em dinheiro), de acordo com a informação transmitida esta terça-feira ao mercado.

A Tech Data confirmou hoje que assinou o contrato definitivo para ser comprada pelos fundos geridos pela afiliada da Apollo Global Management e que o preço de compra representa um prémio de 24,5% sobre o médio ponderado de valor dos seus títulos, em 30 dias, fechado a 15 de outubro.

“Ao longo dos últimos 45 anos de história, a Tech Data cresceu e tornou-se um dos maiores e mais respeitados distribuidores de tecnologia do mundo. Este acordo reflete o progresso significativo que fizemos na nossa estratégia de oferecer mais valor e posiciona-nos num crescimento e sucesso contínuos ”, afirma Rich Hume, CEO da Tech Data.

Segundo o diretor-executivo da Tech Data, este investimento “proporcionará recursos adicionais” para acelerar a capacidade de trazer ao mercado produtos e soluções de tecnologia de que “o mundo precisa para conectar, crescer e avançar”. “A transação oferece um valor monetário significativo para os acionistas e cria oportunidades entusiasmantes aos nossos colegas, parceiros de canal e outros intervenientes importantes”, completa Charles Eddie Adair, membro do conselho de administração.

A operação deverá estar concluída no primeiro semestre de 2020 e, depois, a Tech Data tornar-se-á uma empresa de capital fechado e as ações ordinárias, que negoceiam no índice norte-americano Nasdaq, deixam de estar disponíveis ao público.

Os assessores deste negócio foram o Bank of America Securities, a Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, o Citibank, a J.P. Morgan, a Wells Fargo, a Wachtell, Lipton, Rosen & Katz e a Paul, Weiss, Rifkind, Wharton & Garrison LLP. Já o financiamento competiu ao Citi, J.P. Morgan, Wells Fargo, Barclays e RBC Capital Markets.

Ler mais
Recomendadas

Café do vulcão cabo-verdiano do Fogo chega ao gigante Starbucks

Uma parceria estabelecida entre empresários holandeses e cabo-verdianos está a levar o café da ilha do Fogo, produzido biologicamente junto ao vulcão, à gigante norte-americana Starbucks, a maior rede de cafés do mundo.

PremiumFintech Pagaqui investe nas criptomoedas

Empresa quer continuar próxima dos pequenos retalhistas e está a criar serviços para que os clientes paguem o café com moedas digitais.

Indígenas protestam junto da sede da Repsol contra petróleo no mar brasileiro

Um grupo de indígenas brasileiros, em conjunto com representantes do movimento de proteção ambiental 350.org, manifestaram-se hoje junto da sede da petrolífera Repsol em Madrid contra o uso de combustíveis fósseis, pedindo um “mar sem petróleo”.
Comentários