Apple perde designer do iPhone e iMac

Criou uma equipa à sua medida e pode-se dizer que sem ele, o iPhone, tal como o conhecemos, não existia. Jony Ive diz adeus à Apple depois de 30 anos na empresa. Trabalhou com Steve Jobs e fez a primeira chamada do primeiro iPhone.

A empresa tecnológica Apple anunciou que o chefe de design, Jony Ive, vai abandonar a empresa. Após 30 anos a colaborar com a empresa, Jony Ive foi um dos grandes responsáveis pelo iPhone e iMac como os conhecemos atualmente.

O desenhador vai abandonar a Apple para criar a sua própria empresa, mantendo ainda a empresa de Tim Cook como um dos principais clientes. A própria Apple reconheceu em comunicado oficial o trabalho de quem criou a sede Apple Park, localizada em Cupertino.

Trabalhou com Evans Hanky, vice-presidente de desenho industrial, Alan Dye, vice-presidente de desenho de interface humano, e com Jeff Williams, chefe de operações, que coordenou a criação do relógio Apple.

“Depois de 30 anos e incontáveis projetos, estou mais que orgulhoso pelo trabalho que temos feito para criar uma equipa, processo e cultura de desenho na Apple. Hoje estou mais forte, dinâmico e com mais talento que nunca na história da Apple”, revelou Jony Ive.

Tim Cook, por sua vez, revelou que “a Apple vai continuar a beneficiar do talento de Jony, trabalhando diretamente com ele em projetos exclusivos e através do trabalho de uma brilhante e apaixonada equipa de design que ele próprio criou”.

Recomendadas

Navigator nomeia dois novos administradores executivos

João Paulo Cabete Lé e Adriano Agusto Silveira são os novos administradores executivos no mandato do quadriénio em curso, com efeitos a 1 de Janeiro de 2020.

Jorge Calvete é o administrador judicial da Orey Antunes que pediu um PER

O prazo para a reclamação de créditos, começa a correr a partir da data da publicação do anúncio no Portal Citius, ou seja, 10 de dezembro de 2019. Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais.

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.
Comentários