Arábia Saudita confirma que Khashoggi foi assassinado no consulado em Istambul

O rei saudita Salman demitiu cinco autoridades por causa do incidente, que causou protestos internacionais. Foram também detidos 18 cidadãos e foi ordenada uma reestruturação aos serviços secretos sauditas.

A Arábia Saudita confirmou que Jamal Khashoggi foi morto no consulado em Istambul, no seguimento de uma luta, segundo noticia a agência Reuters. Esta é a primeira vez que o país admite a morte depois de o desaparecimento do jornalista, há duas semanas, ter levado a duras críticas e tensão de vários países, incluindo os EUA.

O rei saudita Salman demitiu cinco autoridades por causa do incidente, que causou protestos internacionais. Foram também detidos 18 cidadãos e foi ordenada uma reestruturação aos serviços secretos sauditas.

O presidente dos EUA, Donald Trump, reagiu no Twitter e afirmou que a informação é credível. Mas os legisladores norte-americanos, citados pela Reuters, consideraram difícil acreditar, sinalizando uma batalha sobre quais as ações poderiam ser tomadas contra a Arábia Saudita, um importante aliado do Ocidente.

A Arábia Saudita não forneceu nenhuma informação que explicasse as circunstâncias que levaram à morte de Khashoggi e não ficou claro se outros governos estariam satisfeitos com ela.

O saudita de 60 anos residente nos EUA, que trabalhava para jornais como o Washington Post, era uma das vozes mais críticas do rei saudita. Jamal Khashoggi entrou no consulado da Arábia Saudita em Istambul no dia 2 de outubro para pedir um documento que lhe permitisse casar com uma cidadã turca e nunca mais foi visto.

Recomendadas

Há petróleo nos EUA, mas não há quem queira trabalhar no setor

Os campos de petróleo situados entre o Taxas e o Novo México valem muitos milhões de dólares, mas, numa situação de quase pleno emprego, não há quem aceite trabalhar lá.

Conselheira de segurança nacional despedida a pedido de Melania Trump

Um dia depois de Melania Trump ter emitido um comunicado, a número dois do Conselho de Segurança Nacional foi despedida. Só para o cargo que ocupava Mira Ricardel já passaram três pessoas diferentes.

Procurador saudita pede pena de morte aos suspeitos do caso Khashoggi

A pena foi pedida para cinco dos 11 suspeitos de estarem envolvidos na morte do jornalista. O procurador saudita considera que foram estes que ordenaram que Khashoggi fosse drogado e desmembrado.
Comentários