Área ardida até sexta-feira 52% abaixo da média dos últimos 10 anos

A área ardida em Portugal, até sexta-feira, situou-se 52% abaixo da média dos últimos 10 anos e houve menos 48% de incêndios rurais relativamente à média do mesmo período, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna.

De acordo com um comunicado oficial, registaram-se 9.471 incêndios rurais até 16 de outubro, quando a média entre 2010 e 2019 foi de 18.277 incêndios, e a área ardida foi de 66.171 hectares, enquanto a média da última década situou-se nos 136.502 hectares.

Indica ainda que, segundo o Relatório Provisório de Incêndios Rurais do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) 2020 apresenta o 2.º valor mais reduzido em número de incêndios, e o 4.º valor mais reduzido de área ardida, desde 2010.

No início de outubro, a Acréscimo – Associação de Promoção ao Investimento Florestal, tinha anunciado que Portugal registou este ano a segunda maior área atingida por incêndios florestais na União Europeia, com pelo menos 61 mil hectares ardidos, “prejudicando as populações, os solos, os recursos hídricos e a saúde pública”.

Na altura, a associação fez uma avaliação negativa do período de incêndios florestais deste ano, indicando que Portugal passou da quinta para a segunda posição na área ardida, segundo os registos do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS, na sigla em inglês), que contabilizam os fogos com área ardida superior a 30 hectares.

Ainda segundo a nota do Ministério da administração Interna hoje divulgada, de 01 a 15 de outubro esteve em vigor o nível III do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para 2020, com 9.804 operacionais, 2.277 equipas, 2.154 veículos e 60 meios aéreos.

Acrescenta que, até ao dia 31 de outubro, mantêm-se neste dispositivo 41 meios aéreos.

“Recorde-se que, não obstante a definição dos vários níveis de empenhamento de meios ao longo do ano, a Diretiva que estabelece o DECIR prevê a flexibilidade operacional, podendo o dispositivo ser reforçado caso as condições meteorológicas o recomendem”, indica ainda a mesma nota.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: Turistas podem circular entre concelhos apesar das restrições

Segundo o esclarecimento enviado pelo gabinete da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, à Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), as restrições de circulação entre concelhos, no período compreendido entre as 00:00 de 30 de outubro e as 06:00 de 03 de novembro, não se aplicam a “turistas estrangeiros, bem como os cidadãos nacionais residentes nas regiões autónomas e fora de Portugal” para locais como empreendimentos turísticos e alojamento local.

Segurança Social: Cobranças de dívidas evidenciam “práticas lesivas” dos direitos dos cidadãos”, denuncia Provedora de Justiça

A Provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, recomenda alterações profundas após inspeções a 11 secções de processo executivo da Segurança Social evidenciarem práticas lesivas dos direitos dos cidadãos. Estre essas práticas estão a cobrança de dívidas inexistentes, a falta de notificação a tempo e horas, penhoras de contas bancárias acima do valor legalmente permitido ou a demora injustificada na restituição de valores indevidamente cobrados.

Governo assume que Portugal está numa frase crítica da pandemia

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde salienta que “se aos cidadãos é exigido o reforço da responsabilidade individual na defesa do nosso bem estar coletivo, ao Ministério da Saúde é exigido que continue a tomar decisões”.
Comentários