ASAE instaura 3 processos-crime e 10 de contraordenação por incumprimento de regras Covid-19

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) fiscalizou esta semana 97 operadores económicos o cumprimento das regras do estado de emergência, instaurando 10 processos por contraordenação e três processos-crime, dois por desobediência e um por contrafação.

Segundo adianta um comunicado deste sábado da ASAE, durante a ação de fiscalização foi também determinada a suspensão de atividade de dois operadores económicos, um por incumprimento das regras de ocupação e lotação e outro por verificação de falta de condições de higiene. Foram ainda apreendidos 115 artigos contrafeitos, no valor de 550 euros.

A operação de fiscalização visou a verificação do cumprimento das regras decorrentes da renovação do estado de emergência, considerando “a heterogeneidade da situação em cada concelho, face à diversidade das medidas aplicáveis em função dos níveis de risco (moderado, elevado, muito elevado ou extremo)”.

Dos 10 processos por contraordenação instaurados, é de realçar a falta de cumprimento das regras de ocupação, permanência e distanciamento físico nos locais abertos ao público e a falta do uso de máscaras ou viseiras para acesso ou permanência nestes espaços.

As ações de fiscalização – destaca a ASAE – foram direcionadas a operadores económicos inseridos em centros comerciais e em grandes superfícies comerciais, tendo como foco principal a verificação do cumprimento integral das regras de lotação, ocupação, permanência e distanciamento físico em espaços públicos e estabelecimentos comerciais, entre outros.

“Como balanço, desde que a ASAE conta com competências de fiscalização do cumprimento dos específicos deveres relativos à contenção da presente pandemia, a partir do final de junho fiscalizou cerca de 3.250 agentes económicos e instaurou três processos-crime e 168 processos por contraordenação, dos quais 76 por incumprimento das normas relativas à saúde pública, no âmbito do combate à covid-19”, menciona ainda a nota da ASAE.

A autoridade adverte ainda que continuará a desenvolver ações de fiscalização no âmbito das suas competências, em todo o território nacional, visando a garantia do cumprimento das regras de saúde pública determinadas pela presente situação pandémica.

Ler mais
Recomendadas

“É quase inevitável que os non-performing loans vão começar a aumentar novamente”, diz Dombrovskis

Vice-presidente da Comissão Europeia realça que o malparado diminuiu na banca portuguesa nos últimos anos. No entanto, admite que a crise provocada pela pandemia se irá traduzir num aumento quase “inevitável” dos NPLs, destacando por isso o Plano de Ação de Bruxelas para combater os créditos improdutivos.

PremiumPrograma Apoiar vai dar mais subsídios

Um dos principais mecanismos no combate às consequências sociais e económicas da pandemia, o programa Apoiar.pt foi agora reforçado e incluirá mais subsídios a fundo perdido, revelou o ministro do Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, nesta quinta-feira.

Governo dos Açores apresenta a Bruxelas solução para devolver aumentos de capital da SATA

O secretário regional das Finanças dos Açores anunciou esta sexta-feira que vai avançar possivelmente “no início da semana”, junto de Bruxelas, com a solução para devolver os aumentos de capital “ilegais” realizados na SATA, de 73 milhões de euros.
Comentários